O espetáculo das baleias-jubarte está de volta à costa da Bahia, sua principal área de reprodução em águas brasileiras, para onde correm todo inverno e primavera para acasalar, parir e amamentar seus filhotes. A gradativa recuperação da população brasileira de jubartes está aumentando o número de baleias, e os pesquisadores do Projeto Baleia Jubarte que desde 1988 monitora e protege a espécie, antecipam uma temporada prolongada e, espera-se, com muitas baleias.

Este ano o Projeto vai operar mais um ponto de observação e educação ambiental, no Farol da Barra em Salvador, graças a uma parceria com o Museu Náutico da Bahia, onde o Projeto irá realizar o monitoramento da baleias a partir de terra e o atendimento aos visitantes do Museu, com atividades de sensibilização e educação ambiental sobre as baleias e a conservação marinha. Segundo o Coordenador Operacional do Projeto na capital, Gustavo Rodamilans, “a chegada das gigantes também é boa notícia para os operadores de Ecoturismo, que após o impacto da pandemia esperam retomar este ano as saídas para observação de baleias”.

As jubartes permanecem na costa baiana até final de outubro, para parir e amamentar seus filhotes e acasalar. Segundo o Coordenador de Comunicação do Projeto, Enrico Marcovaldi, “com base nos nossos mais de 20 anos de monitoramento contínuo das baleias em Salvador, podemos afirmar que estamos tendo um excelente começo de temporada, e é nossa expectativa que o Turismo de Observação ajude na retomada da economia turística da Bahia”. Além de Salvador, diversas outras localidades costeiras já realizam observação de baleias com operadoras parceiras do Projeto, cuja lista completa pode ser acessada no site.

Metro1