A Justiça decretou a prisão preventiva de Jorge Guaranho, agente penitenciário que matou o guarda municipal Marcelo Arruda durante a festa de aniversário de 50 anos dele em Foz do Iguaçu (PR), no Paraná. Em entrevista coletiva, o promotor Tiago Lisboa afirmou que um juiz plantonista aceitou o pedido de conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva na noite de ontem.

O agente penitenciário está hospitalizado em estado grave sob escolta. O Ministério Público do Paraná afirmou que apura se o crime teve motivação política. O promotor Lisboa afirmou que a investigação deve ser “de fácil resolução”, mas ainda precisa ser esclarecida a razão pela qual Guaranho estava no local.

O crime aconteceu na noite do último sábado (9). Marcelo Arruda festejava seu aniversário de 50 anos com a temática petista, usando bandeiras e uma foto de Lula. A vítima era diretor do Sindicato dos Servidores Municipais de Foz (Sismufi), tesoureiro do PT municipal e foi candidato a vice-prefeito. Ele era casado e tinha quatro filhos – entre eles uma menina de seis anos e um bebê de apenas um mês.

Metro1