Com fortes dores no joelho, que o obrigam a se locomover em cadeira de rodas, o Papa Francisco disse na sexta-feira, dia 29, que precisa diminuir ritmo e não descartou a possibilidade de renunciar.

“Não acredito que possa manter o mesmo ritmo de viagens de antes. Acredito que na minha idade, e com esses limites, devo me poupar para poder servir à Igreja, ou pelo contrário pensar na possibilidade de me colocar de lado”, disse.

A declaração ocorreu durante uma entrevista coletiva no avião que o trouxe de volta ao Vaticano após viagem ao Canadá.

Metro1