A Argentina prolongou a quarentena devido ao coronavírus, que expirava no próximo domingo, dia 02, para até o próximo dia 16. O confinamento tem sido particularmente rigoroso em Buenos Aires e seus subúrbios, informou o presidente Alberto Fernández nesta sexta-feira, dia 31.

“A circulação se tornou o maior inimigo para superar essa situação de pandemia”, afirmou Fernández em discurso na residência presidencial nos subúrbios de Buenos Aires.

Fernández indicou que o coronavírus “está circulando mais” no país e afirmou: “Nós os últimos 15 dias nós relaxamos e pensamos que a situação estava controlada, porém não está. Está muito longe disso”. A Argentina registra nesta sexta-feira, dia 31, um total de mais de 185 mil casos, com mais de 3,4 mil mortes.

Metro1