Em entrevista à CNN, ex-presidente diz que mais humildes viverão novamente num Estado com bem-estar social

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou seu compromisso de fazer o Brasil voltar a crescer, combater a fome, gerar bem-estar social, fazendo um governo voltado para todos, mas com prioridade para os que mais precisam.

Em entrevista à CNN, o ex-presidente voltou a dizer que mais do que governar, é preciso cuidar do povo brasileiro. “É isso que nós vamos fazer a partir de primeiro de janeiro”, disse na conversa de mais de 40 minutos com o jornalista William Waack.

Credibilidade, estabilidade e previsibilidade

Lula afirmou que a economia voltará a crescer, com o Brasil atraindo investimento e os bancos públicos oferecendo crédito para garantir a produção da indústria e da agricultura, além de infraestrutura urbana, como construção de moradias e saneamento. Além disso, destacou, o país precisa ter credibilidade, estabilidade e previsibilidade.

“A razão pela qual eu sou candidato hoje é que eu tenho certeza de que é possível recuperar a economia desse país. É possível voltar a gerar emprego, é possível voltar a aumentar o salário mínimo. É preciso garantir que as pessoas possam voltar à universidade, possam ir para a escola técnica. É preciso garantir à sociedade brasileira voltar a comer três vezes por dia”.

Lula lembrou legado de seu governo quando 36 milhões de pessoas saíram da miséria, o Brasil deixou o mapa da fome e 42 milhões atingiram padrão de consumo de classe média. Além disso, foram gerados 22 milhões de empregos formais, a dívida pública foi reduzida de 60,5% do PIB para 37%, a dívida com o FMI foi paga e foi criada uma reserva de US$ 370 milhões, que até hoje ajuda a equilibrar as contas do país.

Comuniquese