O candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT) ressaltou, na noite desta terça-feira (30), a importância dos esforços conjuntos entre Estados e governo federal para que as ações no setor sejam mais efetivas.

“Nós temos de ter uma ação parceira com o governo federal, um plano nacional de Segurança Pública, para integrar as ações, para que nossas fronteiras possam ser bem fiscalizadas. Hoje, existe uma relação deficiente entre o governo federal e todos os governadores dos Estados brasileiros. É um governo que não dialoga, nem com os governadores, nem com os prefeitos, nem com a sociedade”, destacou o candidato de Lula na Bahia, em sabatina realizada pela TV Aratu, na noite desta terça-feira, dia 30.

Como contraposição, Jerônimo lembrou que Lula convidou os governadores para participar da pauta da segurança pública nacional. “Hoje, o presidente Lula recebeu governadores para elaborar uma ação imediata, para (ser iniciada) assim que ele assumir a Presidência”, contou. “Ele estabeleceu em seu plano de governo uma ação concreta, um sistema nacional (o Sistema Único de Segurança Pública), com a criação de um Ministério para cuidar da Segurança Pública e a retomada do Estatuto do Desarmamento. Sou totalmente contra armas na mão da sociedade. As armas devem estar com as forças policiais.”

O candidato reforçou, também, que a Bahia seguirá fazendo sua parte no combate à criminalidade. “Estabelecerei um investimento ainda mais forte na inteligência e na tecnologia, para que a gente possa fazer ações preventivas”, garantiu. “Na parte de pessoal, de efetivo das polícias, vamos realizar concursos, para garantir pessoal suficiente nas Polícias Militar e Civil, além dos Bombeiros, mas também vamos investir na formação, na qualificação, na valorização constante do profissional da Segurança Pública. Eu enfrentarei o crime com todo pulso, com toda firmeza.”

Bahia.Ba