O grupo de 32 venezuelanos que desembarcaram em Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, em setembro deste ano, estão vivendo em um sítio alugado pelo município. Além de prestar assistência na moradia, o órgão também auxilia na alimentação e acompanha a adaptação dos imigrantes. Os venezuelanos passaram por diversas cidades da Bahia e de outros estados antes de chegarem em Santo Antônio de Jesus.

Eles passaram a primeira noite na rodoviária do município, o que chamou a atenção dos órgãos da cidade. Eles foram levados para um sítio logo em seguida e, posteriormente, o local foi alugado como uma espécie de moradia provisória. O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) cuida do grupo, que já recebeu as vacinas necessárias. Quase um mês após a chegada na cidade, os venezuelanos já receberam propostas de emprego de fazendeiros na região.

Apesar das oportunidades, a Gestão Municipal pretende capacitar os imigrantes antes que eles exerçam qualquer atividade na região. Além disso, a barreira da comunicação é um fator dificultador, pois o grupo pertence a uma tribo indígena de dialeto próprio e apenas alguns integrantes falam espanhol. Segundo informações preliminares, a Gestão de Santo Antônio de Jesus planeja projetos que ensinem artesanato para as mulheres e agricultura para os homens.

G1/ Bahia