O Bahia Chess Open – Festival Internacional de Xadrez, evento que acontece até este domingo, dia 10, em Santo Antônio de Jesus (BA), segue reunindo atletas profissionais, amadores e curiosos de todas as idades e de várias partes do mundo, em torno de seus cursos, palestras, simultâneas e torneios nas modalidades Magistral e Bahia Chess Open, que garantirá prêmios de mais de 20 mil Reais e 22 vagas para o Brasileiro de Xadrez.

Jorlene Silvério, do Macapá (AP), não joga xadrez, mas está acompanhando o seu filho, Vitor Silvério, de 15 anos, que tem o transtorno do espectro autista: “Nós fizemos questão de trazê-lo para incentivá-lo. Até agora, diante de duas rodadas em clássicas que já aconteceram, ele saiu vencedor da primeira e de um empate na segunda. Ele joga há menos de um ano, e a gente está sempre torcendo. Como ele não demonstra o que ele sente, as pessoas olham para mim e observam a minha expressão facial durante a partida, só que eu não entendo e fico olhando. Mãe é isso, é mostrar ao filho que, a partir das partidas que são perdidas as pessoas vão ganhando experiência e crescendo para a vida”.

Outra pessoa que iniciou no Xadrez há pouco tempo foi Gina Leite, de Salvador. Com apenas um ano no esporte, a jogadora participou ativamente do Bahia Chess Open – Festival Internacional de Xadrez: “A oportunidade de participar do torneio foi um grande incentivo. E está sendo impressionante ver um evento desse porte, de caráter internacional, no interior da Bahia. Isso, além de dar muita visibilidade ao esporte o torna democrático, porque eu sou uma iniciante e estou aqui em contato com atletas reconhecidos internacionalmente. Esse é um festival que responde não apenas à questão competitiva como também à própria cadeia produtiva do Xadrez”, afirmando também que aproveitou a oportunidade para realizar o Curso de Formação de Organizadores e Eventos e Arbitragem e de Formação de Professores.

Idealizador de um outro torneio, diário e on-line, mas com a perspectiva de realizá-lo pela primeira vez no formato presencial, Vinícius Soares Carvalho, de Itaberaba, na Bahia, afirmou que aproveitou para avaliar o evento: “Eu percebi que a organização é muito avançada e toda a equipe de Diogo Duarte está de parabéns. Para a gente esse evento será uma referência inigualável para a versão do Itaberabão no formato presencial. Para a Blitz eu tenho as melhores expectativas, porque eu me sinto confortável para jogar nessa modalidade. Essa será a minha primeira experiência em partidas Blitz, bem mais maduro e creio que o meu resultado será ainda melhor que de torneios anteriores”, conclui.

José Ernesto Rodi, aproveitou também para celebrar: “iniciativas desse tipo fazem muito pelo desenvolvimento do Xadrez, pelo qual fico honrado em participar e feliz por Santo Antônio de Jesus ter sido a cidade escolhida para sediar uma prova desse tipo”, concluiu o Mestre Internacional uruguaio que já participou de duas Olimpíadas (Baku e Batumi) e é autor de um livro sobre modalidades abertas, como é a Bahia Chess Open, que marcará esses últimos dias deste Festival Internacional.

UP! Conteúdo Criativo – Flamarion Reis