Uma colaboradora da Ramarim, indústria de calçados instalada em Santo Antônio de Jesus (BA), denunciou nesta segunda-feira, dia 23, a falta de máscaras e outros equipamentos de EPI no combate ao Coronavírus.

“Ninguém toma providencias. Temos medo de ser infectados ou transmitir para alguém”, disse.

Ainda de acordo com a denunciante, mesmo com o Decreto Municipal proibindo o funcionamento das indústrias, a Ramarin funcionará internamente até quarta-feira, dia 25. Outra colaboradora disse que quando falta matéria prima a Ramarin dispensa os funcionários e desconta os dia não trabalhados.

“Os funcionários não tem culpa que falta material”, acentuou.

Sobre o funcionamento, o responsável pelo setor pessoal da Ramarim falou que a denúncia não procede, pois, a empresa parou as atividades no dia 20 de março, concedendo férias coletivas e a previsão de retorno é no dia 22 de abril. Deixamos o espaço aberto para a empresa, caso deseje se pronunciar sobre as demais denúncias citadas na matéria.

Redação: Tribuna do Recôncavo | Informações: Blog do Valente