O homem acusado de matar a esposa a marretadas e esconder o corpo dela no quintal do bar da família foi condenado a 33 anos e três meses de prisão. O julgamento aconteceu nesta quinta-feira, dia 3, em Santo Antônio de Jesus, mesma cidade onde o crime foi cometido. As informações são de Joanito Barbosa, advogado de defesa da família da vítima, Maria Damiana dos Santos.

O autor, preso logo após confessar o crime, foi acusado de feminicídio e ocultação de cadáver. Como já está preso há mais de de três anos, o condenado cumprirá 29 anos e 10 meses de reclusão. Maria Damiana, na época com 57 anos, ficou desaparecida por 10 dias antes de seu corpo ser encontrado no quintal do bar, em 2019, na Rua da Linha. Neste período, o autor do crime, Antônio Santos, de 55 anos, disse à polícia que não sabia do paradeiro da esposa.

Antônio Santos confessou o crime após ser intimado a depor na delegacia. Ele contou que matou Damiana durante uma briga por ciúmes, após ela apontar uma faca para ele. Disse ainda que agiu em legítima defesa. A vítima foi enterrada em Varzedo, município onde nasceu. O sepultamento aconteceu quase 15 dias depois do desaparecimento de Damiana.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: G1