O novo ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira, chega ao cargo afirmando que as áreas de energia elétrica, mineração e combustíveis são “fundamentais e estratégicas para o futuro e desenvolvimento da nação”. Silveira assumiu o cargo em cerimônia realizada na segunda-feira, dia 2, em Brasília (DF). “A missão de conduzir o Ministério de Minas e Energia é, ao mesmo tempo, um incomparável privilégio e uma imensa responsabilidade”, afirmou.

Em sua visão, os recursos do país precisam ser explorados de forma oportuna, responsável, sustentável e racional, gerando aos brasileiros e brasileiras os melhores resultados possíveis. “No setor elétrico, as maiores batalhas serão: modicidade tarifária e da efetiva universalização ao acesso a uma energia de qualidade, limpa e sustentável, sem esquecer de se criar um ambiente para atração de investimentos e competitividade”, afirmou Silveira.

O programa Luz Para Todos, criado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, será concluído, de acordo com o ministro. O objetivo é levar energia mais barata, estável e limpa para todos os brasileiros. O novo ministro anunciou a criação da Secretaria de Transição Energética, dedicada exclusivamente a estruturar as políticas públicas necessárias para tornar o Brasil líder mundial em energia limpa.

“O gás natural e a biomassa ganham destaque nessa transição energética segura e na consolidação de uma economia nacional de emissão de médio e baixo carbono, com baixo impacto ambiental e maior eficiência, comparado a outras fontes fósseis. Além do seu papel estratégico no desenvolvimento de tecnologias nacionais”, afirmou Silveira.

Currículo Alexandre Silveira

Nascido em Belo Horizonte, Alexandre Silveira, 52 anos, formado em Direito, foi senador por Minas Gerais. Também foi deputado federal por dois mandatos, entre 2007 e 2015, e exerceu os cargos de secretário Estadual de Gestão Metropolitana e secretário Estadual de Saúde, em Minas Gerais. Fora da carreira política, atuou como delegado da Polícia Civil.

EBC