Lideranças indígenas da região de Prado, no Extremo Sul baiano, prestaram depoimento nesta sexta-feira, dia 09. A audiência ocorreu no Centro de Operações e Inteligência (COI) da Secretaria da Segurança Pública, em Salvador. O grupo relata diversos ataques feitos por pistoleiros que estariam a mando de fazendeiros, interessados na grilagem de terras.

Em um deles, um adolescente, de 14 anos, foi a óbito depois de ser atingido por tiros. Conforme a SSP-BA, no encontro ficou definido também a criação de um Grupo de Trabalho com policiais que coordenarão as ações preventivas e investigativas na região. A decisão foi tomada pelo secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Coutinho, e pela delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito, durante reunião com lideranças indígenas.

Integrantes das Secretarias de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos e de Promoção da Igualdade (Sepromi) também participaram do encontro. “Não cabe à polícia estadual a resolução da propriedade de terra, na região. A nossa função é proteger vidas e atuaremos com total empenho nesse intuito e também na identificação e autoria de ações criminosas”, declarou o titular da SSP-BA.

Bahia Noticias