O Produto Interno Bruto baiano  (PIB) calculado e divulgado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) cresceu 4,8% no segundo trimestre de 2022 em comparação ao mesmo período do ano anterior. Na comparação com o 1º trimestre de 2022 – com ajuste sazonal – o crescimento foi de 1,4%. No primeiro semestre de 2022, o crescimento acumulado foi de 3,9%.

No 2º trimestre de 2022, o PIB baiano totalizou próximo de R$ 109,2 bilhões, sendo que R$ 98,3 bilhões são referentes ao Valor Adicionado (VA) e R$ 10,9 bilhões aos Impostos sobre produtos líquidos de subsídios. No que diz respeito aos grandes setores, a Agropecuária apresentou Valor Adicionado de R$ 22,3 bilhões, a Indústria, R$ 22,2 bilhões, e os Serviços, aproximadamente R$ 53,8 bilhões.

No 1º semestre de 2022, o PIB baiano totalizou R$ 202,4 sendo que R$ 179,8 bilhões são referentes ao Valor Adicionado (VA) e R$ 22,6 bilhões aos Impostos sobre produtos líquidos de subsídios. No que diz respeito aos grandes setores, a Agropecuária apresentou Valor Adicionado de R$ 29,5 bilhões, a Indústria R$ 43,2 bilhões e os Serviços R$ 107,1 bilhões.

2º Trimestre 2022 / 2º Trimestre 2021

Quando comparado a igual período do ano anterior, o PIB da Bahia apresentou expansão de 4,8% no segundo trimestre de 2022. O Valor Adicionado apresentou variação positiva de 4,5% e os Impostos alta de 7,3%. Os três setores econômicos apresentaram crescimento entre abril e junho do ano de 2022, sendo que o principal destaque na economia baiana foi à alta na indústria (+13,0%), seguido pela agropecuária (+4,2%) e serviços (+1,6%).

No que se refere ao setor industrial, a expansão de 13,0% foi determinada pelo desempenho positivo na atividade da Indústria de Transformação (+19,8%) Eletricidade e água (+7,8%) e Construção Civil (+7,6%). Já o segmento extrativo foi o único a registrar retração dentro da indústria (-10,7%).

No setor de Serviços (+1,6%), os destaques foram as expansões nas atividades de Administração pública (+1,8%) – atividade com maior peso na economia baiana –, atividades imobiliárias (+2,5%) e Transportes (+7,8%) – este último favorecido pelo bom desempenho dos modais aéreo (transporte de carga e passageiros) e aquaviário. Destaca-se ainda o crescimento no grupo Outros Serviços (+ 4,7%). Já os segmentos de Comércio (-6,5%) contribuíram para a queda na atividade no segundo trimestre de 2022.

1º Semestre 2022/ 1º Trimestre 2021 (acumulado de janeiro a junho)

No primeiro semestre, a atividade econômica baiana registrou expansão de 3,9% – comparação com 2021–, sendo 3,7% referentes ao Valor Adicionado 5,1% aos impostos. A Agropecuária variou com alta de 4,1%; a Indústria cresceu 8,0% e os Serviços 2,0%.

O crescimento em volume do setor agropecuário baiano no acumulado do ano foi de 4,1%. O resultado positivo deve-se aos bons números da safra de grãos, com alta de 8,2% – feijão (+28,9%), milho (+13,6%), café (+12,8%) e Soja (+6,0%).

A indústria registrou a maior taxa de expansão dentre os setores da atividade econômica baiana no acumulado do ano de 2022 (+8,0%). A atividade com maior peso no setor, indústria de transformação acumulou, no primeiro semestre de 2022, crescimento de 9,4%. Também tiveram expansão no primeiro semestre as atividades de Construção civil (5,6%) e Eletricidade e água (+11,7%), ambas impulsionando o resultado do setor industrial. Nesse setor, a única atividade que apresentou retração foi a Extrativa mineral (-11,7%).

Por fim, o setor de Serviços da Bahia expandiu 2,0% de janeiro a junho de 2022, com alta nas atividades de Transportes (+5,2%) e Outros Serviços (+4,2%). Ainda dentro do setor, observou-se incremento positivo nas Atividades imobiliárias (+2,6%) e na Administração pública (+1,6%). Já a atividade de comércio com retração de -2,5% foi impactada pela queda nos segmentos de combustíveis e lubrificantes, hipermercados, móveis e eletrodomésticos, veículos e material de construção.

Metro1