A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu nesta quarta, dia 04, a interrupção do reforço da vacinação contra a covid-19 até setembro. Segundo o diretor-geral Tedros Adhanom Ghebreyesus, o objetivo é imunizar pelo menos 10% da população de todos os países antes das nações mais ricas iniciarem a aplicação de doses de reforço.

O apelo para interromper a distribuição de doses reforço da vacina é o mais forte já feito pela agência da ONU, à medida que a lacuna entre as taxas de imunização em países ricos e pobres aumenta. Segundo a OMS, os países mais ricos administraram cerca de 50 doses para cada 100 pessoas em maio, e esse número dobrou desde então.  Já os países de baixa renda só conseguiram administrar 1,5 dose para cada 100 pessoas, devido à falta de insumos.

Ou seja, a desigualdade entre países ricos e pobres também é refletida na imunização. Enquanto algumas nações começaram a imunizar com terceiras doses, outras estão começando a receber as ampolas. O Haiti, por exemplo, recebeu as primeiras vacinas contra covid-19 apenas em 14 de julho.

Bahia.Ba