Pré-candidato do PT à Presidência da República, Lula (PT) fez duras críticas ao ex-juiz Sérgio Moro, a quem chamou de “santo de barro” e a Operação Lava Jato, nomeada por ele de “quadrilha de procuradores”.

“Eu poderia sair do Brasil. Tive convite para ir para a Embaixada. Mas não quis. Quis desmascarar a quadrilha de procuradores. Orientado, não sei se pelo departamento de Justiça dos Estados Unidos, ou de algum lugar. Mas tinha uma orientação. Eu quis desmascarar Sérgio Moro. O santo de barro que a imprensa ajudou a criar. Não que a imprensa fez, mas contando uma mentira para a imprensa, ela ajudou a transformar em verdade”, disse Lula, em entrevista nesta sexta-feira, dia 01º, a Mário Kertész.

Lula disse que no período que ficou preso, na Polícia Federal, em Curitiba, não cultivou o ódio. “Escrevi cartas de amor para Janja (sua esposa). E fui deixando o ódio sair e tomar conta. Agora sou amor. E quero transformar o Brasil”, disse.

Redação: Metro1 | Reportagem: Rádio Metropole