A mãe do garoto que morreu vítima de bala perdida enquanto jogava bola com amigos, cujas iniciais são D.L.S.S., de dez anos, lamentou não ter tido condições de proteger o filho. O incidente aconteceu nesta quinta-feira, dia 18, em Jauá, distrito de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Até esta sexta-feira, dia 19, não havia informações sobre prisão de acusados. Isadora Silva contou que o filho correu em direção a ela e pediu socorro, depois de ser atingido.

A vítima chegou a ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Arembepe, mas não resistiu aos ferimentos. A mãe do garoto disse que ele costumava ser caseiro e passou a brincar com outros garotos da vizinhança, incentivado pela família e pelos professores. Os outros dois filhos da mulher estavam dentro de casa na hora do ocorrido. Ela contou que quando ouviu os tiros, pediu para os outros garotos abaixarem o volume dos jogos em que brincavam, foi até a porta de casa e viu o filho chegando com sangue nas mãos.

A mãe disse ainda que o filho gostava de estudar e sonhava em ser youtuber, já que gostava de postar vídeos nessa rede social. Além do garoto, um homem foi ferido no rosto. Ele segue internado nesta sexta, mas não há informações sobre o estado de saúde do mesmo. A Polícia Civil informou que apura o caso através da delegacia de Vila de Abrantes. Imagens de câmeras de segurança já foram solicitadas para ajudar na identificação dos envolvidos.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Bahia Noticias e G1/ Bahia