O empresário de 38 anos, indiciado por homicídio com dolo eventual (quando assume o risco de matar), após atropelar e matar a dentista Ranitla Bonella, foi solto na terça-feira, dia 30, em Ilhéus, no sul da Bahia. A soltura aconteceu um dia após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) conceder uma liminar de habeas corpus.

Ele estava preso desde 26 de julho, quando se apresentou para cumprir o mandado de prisão expedido pela Justiça de Ilhéus. O caso ocorreu no dia 11 de junho e, em 3 de agosto, a Polícia Civil fez uma reconstituição do acidente. Segundo a polícia, os laudos periciais vão ajudar a solucionar o caso, mas os detalhes da reconstituição não foram divulgados.

O empresário se apresentou no Presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus, um dia antes, acompanhado do advogado criminalista Jacson Cupertino. A vítima era recém-formada e estava na cidade para fazer uma especialização em ortodontia. Ela foi atingida pelo veículo no momento em que atravessava a rodovia, em uma faixa de segurança. A jovem foi arremessada e chegou a bater em um guard rail.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: G1/ Bahia