Nesta quinta-feira, dia 1º, a Polícia Civil de Feira de Santana, obteve o resultado do laudo médico que aponta a causa da morte do comerciante Cláudio Marcelo de Almeida, que faleceu após fazer um procedimento de implante capilar, em uma clínica no município. Após o procedimento o paciente passou mal e foi socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade, em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu. Foi constatado possível intoxicação exógena por agente químico, no caso o anestésico conhecido como lidocaína.

A partir do resultado do laudo cadavérico em conjunto com as demais provas carreadas aos autos, nós vamos concluir o procedimento policial encaminhado para a justiça e decidir pelo indiciamento ou não do médico que realizou o procedimento cirúrgico no paciente”, explicou a delegada titular da 1ª Delegacia Territorial (DT), Ludmilla Vilas Boas e Santos. De acordo com a delegada, neste momento não é possível “identificar uma intenção do médico em provocar uma morte”, mas é possível que o mesmo responda por homicídio culposo.

“A princípio não se consegue identificar o dolo. O que seria o dolo? Seria a intenção de matar, mas é possível que diante do que está ajustado no procedimento policial que ele possa sim ver a responder por um homicídio culposo. Nós já ouvimos todas as pessoas envolvidas, inclusive a equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu). Não temos mais ninguém para ouvir, realmente só aguardávamos o resultado do laudo cadavérico”, concluiu.

Redação: Bahia Noticias | Informações: Acorda Cidade