A lavagem nasal vem se popularizando por ser um método que ajuda a remover secreções e promover a limpeza interna do nariz, proporcionando alívio da obstrução e outros sintomas de rinites e sinusites, comuns no período seco e frio.

A técnica é reconhecida na Medicina pelos efeitos positivos em pacientes com alergias respiratórias e outras enfermidades. Mas as orientações de como fazer a aplicação, sua periodicidade e o perfil de paciente que deve realizá-la podem variar conforme o problema vivenciado.

Para orientar a população e profissionais da área da saúde sobre a importância do procedimento na prevenção e no tratamento de doenças que afetam o nariz e os seios da face, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial realiza a ação “Meu Otorrino é 10: ele me ensina a lavagem nasal”.

A programação inicia este mês com vídeos explicativos sobre o procedimento nas redes sociais e lives com experts para sanar dúvidas e esclarecer particularidades do método. Além disso, a entidade também vai oferecer aulas sobre lavagem nasal durante as caravanas científico-sociais, evento itinerante que percorre capitais para ensinar professores a reconhecer sinais de problemas relacionados à fala, audição, respiração e sono em crianças, ocorrências que impactam negativamente o desenvolvimento infantil.

“A lavagem nasal é indicada em quadros de rinite alérgica, rinossinusites virais e bacterianas agudas e rinossinusites crônicas, além do pós-operatório e outras situações específicas. A porcentagem de pacientes que se beneficia é tão grande, que esse é considerado um tratamento de primeira linha para essas enfermidades,” esclarece o presidente da ABORL-CCF, Renato Roithmann.

Lavagem nasal é todo procedimento que utiliza água, soro fisiológico ou outras soluções salinas combinadas com medicamentos de uso tópico para serem aplicadas dentro da cavidade nasal, visando ao tratamento de doenças e resultando na melhora da saúde respiratória e do bem-estar.

A técnica pode ser realizada em qualquer idade, mas precisa de orientação e acompanhamento médico. “É muito importante entender qual é o problema apresentado pelo paciente. O método será adaptado de acordo com cada situação clínica”, alerta o otorrinolaringologista.

A lavagem nasal pode ser feita com pequeno (abaixo de 60 ml) ou grande volume de solução (acima de 60 ml). Os instrumentos para aplicar as soluções e a posição da cabeça na hora da prática variam de acordo com a doença a ser tratada e os objetivos a serem alcançados. “Um paciente com rinite alérgica deve lavar o nariz de uma forma diferente do que um com sinusite crônica, por exemplo”, explica Roithmann.

Apesar deste recurso estar ganhando popularidade, o especialista esclarece que nem todas as pessoas devem fazer lavagem nasal. “Pessoas sem problemas nasossinusais não precisam de lavagem nasal, pois podem remover o muco protetor das mucosas de revestimento nasal nestas situações. Não se deve sair lavando o nariz sem a consulta e o acompanhamento médico,” alerta o especialista. Além disso, na maior parte das vezes, “são necessários outros tratamentos conjuntos à lavagem nasal e isso requer orientação médica”, complementa.

Lives com especialistas

Até o final do ano, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial promove uma programação de lives mensais gratuitas e abertas à comunidade.

No dia 23 de agosto, o presidente da ABORL-CCF, Renato Roithmann, se reúne com os otorrinolaringologistas Eduardo Macoto e Edwin Tamashiro para responder a uma dúvida comum: “preciso lavar meu nariz?”. Os especialistas vão explicar quando, quanto e como fazer a lavagem nasal.

No dia 29 de setembro, será a vez da doutora Wilma Anselmo e dos otorrinos Ricardo Dolci e Marcos Lessa darem instruções sobre o tema, esclarecendo quais os benefícios da lavagem nasal e se a técnica ajuda a melhorar o olfato. Já em 20 de outubro, o 2° vice-presidente da ABORL-CCF, Fabrizio Romano, e os especialistas Miguel Tepedino e Thiago Bezerra abordam sobre lavagem nasal nas crianças, dando dicas e orientações, além de responderem aos questionamentos dos participantes da live.

Os encontros ocorrerão às 20h, no Instagram Otorrino e Você. Além disso, até dezembro, outras ações e conteúdos informativos sobre lavagem nasal estarão disponíveis no canal Otorrino e Você (Blog e Instagram), idealizado pela ABORL-CCF para promover educação em saúde à população.

ASCOM