Por Lindaiara Conceição – Jornalista 

Hoje em dia o Natal é tudo, panetone, chocotone, queijo cuia, uvas-passas, roupas, sapatos, viagens… Um sobe e desce frenético no comércio, muitas coisas para pouquíssimo tempo e dinheiro também. Natal agora é agonia, arrumação, árvore de tudo que é cor, um tremendo esforço para garantir que “nada” esteja faltando, o que inclui marcar salão com antecedência e o barbeiro precisa acertar naquele talento para deixar o cliente bem alinhado.

O Natal hoje é “tudo isso”, talvez eu tenha esquecido alguns itens, peço perdão, mas é que o meu Natal ainda está entrando no ritmo “deste Natal” atual, fui no comércio, garanti o queijo e panetone de mamãe, no sábado vou pra casa dela, só penso em estar lá, não vejo a hora de sentir o cheiro da cesta de frutas, uma das minhas memórias afetivas da infância, de abraçar vovó e ouvir “tô aqui minha filha”, e “acuma” vai a força? Quero logo beliscar as comidas com passas, mangas e maçãs, o Natal tem cheiro frutas da estação e sabor agridoce.

Mas o Natal ainda não é isso “tudo”, a cada ano uma amnésia toma conta da humanidade em relação ao real e único sentido do Natal. O Natal já entrega “nascimento”, o nascimento de Cristo, o amor em forma humana, o partilhar, o sofrer junto, o milagre… A lembrança de servir o próximo, a gratidão com o que temos… E coloca gratidão nisso, tá? Natal é a calmaria de Jesus em nosso barco, é a multiplicação de um amor, que deveria ser estendido nos outros 364 dias também.

Ah, o Natal é uma multidão de abraços, é cartãozinho feito mão. Natal e olhar no olho e não apenas dizer, mas desejar com a mais sinceridade e pureza de coração “FELIZ NATAL!”. O Natal não é sobre o que temos ou podemos ter, mas sim do que somos e podemos ser para si, e principalmente para o próximo. O Natal é só sobre o amor gente… Desejo que você tenha um Natal em câmera lenta, com todo delay do mundo, para que possa aproveitar todos os segundos de cada presente sentado na sua mesa, na varanda, no chão… Que possamos celebrar o nascimento de Jesus, com a mesma energia que dedicamos a tantas outras coisas que tentam esconder o verdadeiro sentido desta data originada exclusivamente para o AMOR!

Texto: Lindaiara Conceição – Jornalista DRT 4868