Nos próximos dois finais de semana, o coração de Dom Pedro I poderá ser visto pelo público em exposição no Itamaraty, em Brasília. O órgão, que chega de Portugal na segunda-feira (22), para as comemorações do bicentenário da independência do Brasil, será recebido com honras militares.

A autorização para o translado foi concedida em junho pelo presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira. Ele atendeu a solicitação do governo brasileiro após a concordância da Irmandade da Lapa, entidade religiosa que guarda o órgão. Após a realização de uma perícia, o Instituto de Medicina Legal do Porto também deu parecer favorável. O translado será realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Segundo informou o Itamaraty, a relíquia estará exposta a partir de quinta-feira, dia 25 de agosto de 2022, mas durante a semana o acesso será exclusivo para visitas escolares previamente agendadas. O público em geral deverá aguardar os sábados e os domingos, em horário ainda não definido. A exposição será encerrada no 7 de setembro, quando acontece a celebração do aniversário da independência. No dia seguinte, o órgão faz sua viagem de volta.

Relíquia guardada a cinco chaves

O coração de Dom Pedro I está conservado há 187 anos. O órgão fica guardado em um vaso de vidro com formol, numa urna trancada por cinco chaves dentro de um cofre na Irmandade da Lapa, na cidade portuguesa do Porto.

Em breve a LIVE Tribuna ON ouvirá a arqueóloga Valdirene do Carmo Ambiel, a qual fará uma análise dos restos mortais de Dom Pedro I.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo: Fontes: Agência Brasil via Metro1 e G1