O Brasil deverá ocupar a 10ª posição mundial entre os exportadores do cereal, conforme os analistas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). As exportações brasileiras atingiram o recorde de 3,1 milhões de toneladas, volume acima do de 2021, quando o país havia colocado 1,13 milhão de toneladas no exterior. Os dados foram divulgados pelo levantamento da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), publicado na última segunda-feira, dia 02.

As exportações do ano passado também mostrarão um bom desempenho, de acordo com o levantamento, as exportadoras enviaram 2,18 milhões de toneladas do cereal ao mercado externo. O Brasil faz exportações recordes de trigo, mas ainda continua dependente do mercado externo, principalmente da produção da Argentina. Cabe ressaltar que, a Argentina e Ucrânia, está com a menor oferta de trigo no mercado internacional nesta safra 2022/23. Os argentinos são os principais fornecedores de trigo para os brasileiros.

Na avaliação do Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), as exportações brasileiras atingirão 3,5 milhões de toneladas, superando as da Índia. O órgão norte-americano considera as exportações de julho de 2022 a junho de 2023. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), após uma safra recorde de trigo de 9,6 milhões em 2022, o Brasil deverá colher 8,4 milhões neste ano.

Bahia.Ba