O Pix, sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central, passará a contar com as modalidades de saque e troco a partir da próxima segunda-feira, dia 29. Os novos serviços foram regulamentados pela autoridade monetária, em resolução publicada na edição desta sexta-feira, dia 26, do Diário Oficial da União.  Não haverá cobrança de tarifa para pessoas físicas ou microempreendedores individuais (MEIs). Os dois novos produtos são opcionais, cabendo a decisão final aos estabelecimentos comerciais, proprietárias de redes de autoatendimento e às instituições financeiras ofertantes.

O limite máximo das transações do Pix Saque e do Pix Troco será de R$ 500,00 durante o dia, e de R$ 100,00 no período noturno (das 20h às 6h). Os agentes dos novos produtos terão liberdade para adotar limites menores. No Pix Saque, o cliente fará um Pix para o responsável pela operação a partir da leitura de um QR Code ou a partir do aplicativo do prestador do serviço. O funcionamento é semelhante no Pix Troco, com a diferença é que a transação é feita durante o pagamento de uma compra.

Para o comércio que disponibilizar o serviço, as operações do Pix Saque e do Pix Troco representarão o recebimento de uma tarifa que pode variar de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação. “A oferta do serviço diminuirá os custos dos estabelecimentos com gestão de numerário, como aqueles relacionados à segurança e aos depósitos, além de possibilitar que os estabelecimentos ganhem mais visibilidade para seus produtos e serviços (‘efeito vitrine’)”, ressaltou o BC, em nota.

Agência Brasil