No sábado, dia 05, a morte da cantora Marilia Mendonça completa um ano. O acidente aéreo que matou a artista no auge de sua carreira e mais quatro pessoas que a acompanhavam a bordo ainda não teve sua investigação concluída pela Força Aérea Brasileira (FAB). O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que apura o caso, afirma que o avião caiu após atingir uma linha de distribuição de energia perto de uma cachoeira na zona rural de Caratinga, cidade de Minas Gerais que era o destino da cantora.

Entretanto, a análise completa com todas as informações sobre o acidente ainda não está disponível. Em nota, a FAB informou que os trabalhos de campo desta investigação e as atividades de coleta de dados e pesquisas referentes às condições de aero navegabilidade já foram concluídos. A próxima etapa prevê a discussão sobre a minuta do relatório com os representantes dos países de fabricação da aeronave e dos motores.

A queda do bimotor aconteceu durante viagem de Marilia de Goiânia a Caratinga para cumprir uma agenda de shows. O acidente ocorreu a dois quilômetros de onde seria realizado o pouso.  O avião era um C-90 King Air que pertencia a empresa PEC Taxia Aéreo e tinha capacidade para seis passageiros. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o veículo tinha autorização para operar.

Redação: Metro1 | Informações: GloboNews