O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reconheceu na sexta-feira, dia 16, que a campanha de ACM Neto invadiu os horários destinados às candidaturas para os cargos proporcionais nas eleições deste ano. Os candidatos a deputado de ACM Neto, ao invés de apresentarem suas propostas criticavam o candidato Jerônimo (PT).

A campanha de ACM Neto já havia sofrido uma derrota no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pela irregularidade em invadir o tempo destinado aos deputados e recorreu ao órgão máximo da Justiça Eleitoral, o TSE, pedindo a concessão de efeito suspensivo da perda de tempo de TV, o que foi negado. Além da condenação à perda de tempo de propaganda, o TSE proibiu novas veiculações da peça publicitária.

Para o presidente do PT Bahia, Éden Valadares, ACM Neto cometeu irregularidades e vai pagar, porque invadiu a propaganda dos deputados para atacar Jerônimo. “Perdeu na Justiça estadual e na nacional. Dura lex, sed lex [‘a lei é dura, mas é a lei’, expressão latina]. Ele estudou Direito e deveria saber disso”, destacou Valadares.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: ASCOM