As ações das Americanas tombaram 39,37% chegando a R$ 1,91 na tarde desta segunda-feira, dia 16. As ações da companhia entraram em vários leilões ao longo da manhã. O leilão é um “mecanismo de defesa” que interrompe as negociações comuns para tranquilizar momentos de variação bruta de papéis na bolsa.

No pregão antes do anúncio sobre os problemas fiscais, na última quarta-feira, dia 11, os papéis da Americanas valiam R$ 12. A Americanas obteve na sexta-feira decisão da Justiça protegendo-a por 30 dias contra vencimento antecipado de dívidas, prazo que a varejista poderá usar para obter um acordo com credores ou pedir uma recuperação judicial.

Na última quarta-feira, dia 11, a empresa comunicou terem sido identificadas inconsistências contábeis estimadas em aproximadamente R$ 20 bilhões. O diretor-presidente, Sergio Rial, e o diretor de Relações com Investidores, André Covre, empossados uma semana antes da emissão da nota, comunicaram sua decisão de não permanecer na companhia, com saída imediata.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Metro1