O setor fotovoltaico tem despontado no mercado como uma solução econômica a médio e longo prazo e mais ecológica para os consumidores. Nada, deste sistema, é desperdiçado. Se a energia produzida pela residência, comércio ou indústria exceder a consumida, ela pode ser armazenada em baterias para ser utilizada quando necessário ou ser conectada a uma rede elétrica para fornecer energia para outros consumidores. Nestes casos, o sistema recebe o nome de “Off Grid” ou “On Grid”, respectivamente.

“O ‘off grid’, que conta com as baterias, costuma ser utilizado em áreas remotas ou onde a instalação de uma conexão à rede elétrica não é viável ou prática. Em geral, sistemas ‘on grid’ são mais convenientes e econômicos para a maioria das aplicações, pois não há necessidade de investir em baterias de armazenamento, além de haver uma compensação financeira pelo excesso de energia gerada.

Mesmo com a Lei 14300/22, que determina algumas normas para a instalação e autoconsumo de energia solar, esta modalidade continua sendo vantajosa e gerando economia para o usuário”, explica Ramon Pissaia, engenheiro eletricista e CEO da Otto Energia Sustentável, rede de energia fotovoltaica.

ASCOM Markable