A Receita Federal liberou recentemente a consulta ao quarto lote de restituição do Imposto de Renda 2022. Os valores serão pagos ao contribuinte no dia 31 de agosto, através de crédito na conta informada no momento da declaração. Mais de 4 milhões de pessoas estão na lista e as restituições somam, ao todo, R$6 bilhões de reais.

A restituição do IR é concedida a todos os contribuintes que pagaram um valor a mais na declaração do imposto. As devoluções que constituem o 4º lote serão pagas com correção de 3,05% pela taxa básica de juros (SELIC) e pode representar um grande reforço econômico para o orçamento mensal se utilizado da maneira correta.

O especialista contábil e CEO da ConsulFis Contabilidade, Ricardo Santos, explica que a restituição do IR é liberada por ordem de prioridade. “As primeiras pessoas que enviaram a declaração de imposto de renda têm prioridade no recebimento, bem como os idosos, contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e aqueles cuja maior fonte de renda seja o magistério”, acrescenta.

O valor pago varia conforme os rendimentos tributáveis de cada contribuinte. De modo geral, subtrai-se as despesas dedutíveis, é aplicada a alíquota progressiva e, por fim, encontra-se um valor de imposto a pagar ou uma quantia a ser restituída (lotes pagos ao longo do ano).

Ricardo comenta que a restituição do IR pode representar um reforço no orçamento mensal do contribuinte, mas para que o dinheiro seja aplicado da melhor forma, é necessário que seja feita uma avaliação das despesas mais urgentes e também que seja considerada a possibilidade de antecipação de pagamentos.

“A principal orientação é consultar os lotes de pagamentos do imposto de renda, e se programar para usar o dinheiro da restituição para despesas em atraso, se for o caso, ou antecipação de dívidas. Um exemplo disso é o IPVA, pagando antecipadamente é possível obter desconto”, pontua o especialista contábil.

Além disso, Ricardo Santos acrescenta que os valores podem ser utilizados para aplicação ou constituição de uma reserva de emergência. Entre as diversas formas de investimentos estão os títulos em renda fixa, com rendimento pré ou pós-fixado e opções isentas de Imposto de Renda.

“Se o contribuinte tiver a oportunidade de fazer o dinheiro do IR render, isso pode ser visto como uma reserva de emergência (a curto prazo) ou pode representar o início da realização de algum sonho (longo prazo). O ideal é analisar o cenário econômico do contribuinte e destinar a quantia para a área em que melhor será aproveitada”, explica.