O PSOL pode ter um papel decisivo na definição das eleições na Bahia. Os 48.239 votos do candidato do partido ao Governo da Bahia, Kleber Rosa, pode garantir a vitória de Jerônimo Rodrigues (PT) no segundo turno, mesmo que ACM Neto (União) consiga converter todos os votos de João Roma (PL).

Tendo em vista a importância do seu apoio no pleito, a legenda deve anunciar sua posição até o final da tarde desta terça-feira, dia 3. Rosa indicou que, apesar das ressalvas a administração de Rui Costa (PT), existe um indicativo de apoio a Jerônimo.

“O que posso dizer é que não está na mesa a gente ficar fora do processo. Vamos tomar uma posição porque o momento exige isso. Nós temos uma posição muito dura contra o carlismo e não queremos facilitar a possibilidade da volta das oligarquias representadas por ACM Neto, então isso orienta a nossa posição. Significa dizer que existe a possibilidade da gente apoiar Jerônimo sim, mas isso precisa passar pelo crivo interno, com as contradições internas e as questões que a gente tem e relação ao governo Rui Costa. Então são questões que a gente vai precisar aprofundar”, disse Rosa.

“Nós temos a dimensão do papel que a gente pode cumprir no segundo turno, isso está bem claro para gente”, frisou Rosa. Apesar de fazer oposição à gestão estadual, o PSOL baiano declarou apoio a Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para a Presidência da República.

CONTA

O candidato do PT ao Palácio de Ondina ficou perto de faturar a disputa no primeiro turno. Jerônimo Rodrigues teve 49,45% dos votos válidos, com um total de 4.019.830 votos. ACM Neto (União) obteve 40,80%, com 3.316.711 e João Roma (PL) marcou 9,08%, obtendo um total de 738.311 votos. Somados, os votos do petista e de Kleber Rosa (PSOL) chegariam a 4.068.069, contra 4.055.022 de votos de Neto e Roma juntos.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Bahia Noticias