Imagens de câmera de segurança mostram quando a médica Satia Lorena Patrocínio Aleixo, de 27 anos, chegou em casa. Ela falou ao telefone e agitada parece que discutiu com alguém do outro lado da linha. Rodolfo Cordeiro Lucas, chega mais tarde e entra no condomínio. Cinco horas depois, ela caiu do quinto andar do prédio em Salvador (BA) de uma altura de 20 metros. O caso aconteceu na madrugada do dia 20. Satia segue internada e seu estado de saúde é grave.

Em depoimento à polícia, Rodolfo disse que Sattia tinha tentado suicídio por quatro vezes e que durante uma briga ela tentou se jogar em um canal. Ele chegou a ser preso preventivamente por tentativa de feminicídio. Na segunda-feira (27), a prisão dele foi revogada pela Justiça.

Em depoimento, a mãe da médica contou aos investigadores que a filha não usava medicamento controlado e nunca tentou suicídio. Que Sattia passou a viver triste e isolada por causa do relacionamento. A mãe da médica disse ainda que 15 dias antes, a filha saiu de casa e estava decidida a terminar o relacionamento, mas Rodolfo a procurou, os dois brigaram e ela acabou voltando para o apartamento. Que horas antes da queda, Sattia encaminhou áudios de um colega de trabalho dizendo que a ajudaria com os plantões nos hospitais. A mãe de Sattia disse que acredita que Rodolfo teve acesso a esses áudios e perdeu a cabeça.

A irmã de Sattia também foi ouvida pela polícia. Disse que Rodolfo já deixou Sattia trancada em casa e que durante uma briga com Rodolfo, teve um corte na perna. A polícia disse que só vai se pronunciar sobre o caso quando os laudos no apartamento e nos celulares ficarem prontos.

Reportagem: Jornal da Record | Redação: R7