Um pastor foi preso por suspeita de ter cometido tortura, maus tratos, internação forçada e cárcere privado contra internos de uma cliníca de reabilitação para dependentes químicos. O caso aconteceu no município de Mucuri, na Bahia. Além do pastor, que era proprietário da clínica, um funcionário que administrava o local também foi preso em flagrante. Foram resgatados 16 pacientes em situação de cárcere privado.

De acordo com o promotor de Justiça Bernardo Barbosa Sarkis, o MP instaurou procedimento para investigar a clínica após recebimento de denúncias. Segundo a Polícia Civil, no local foi encontrado um adolescente de 15 anos internado e vários pacientes com marcas de correntes nos pulsos. A investigação apontou que os internos chegavam a ficar presos durante até três dias após surtos. A clínica de reabilitação terapêutica funcionava 24 horas e atendia cerca de 20 pessoas do extremo sul do estado.

O local funcionava há seis meses, mas, de acordo com o promotor, estava irregular e não possuía licença. Os internos foram encaminhados para o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), onde vão receber atendimento médico e, posteriormente, serão direcionados às famílias. Já os suspeitos passaram por exames de lesão corporal e estão à disposição da Justiça após serem encaminhados para Teixeira de Freitas.

Metro1