O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou de cinco encontros em seu primeiro dia de agenda nas Reuniões Anuais do Fundo Monetário Internacional e dos Conselhos de Governadores do Grupo Banco Mundial (IMF World Bank Annual Meetings), nesta terça-feira (11/10), em Washington, Estados Unidos.

Na reunião com ministros de Finanças e da Agricultura dos países do G20 — primeiro compromisso do dia — ele falou sobre o papel do Brasil na garantia da segurança alimentar do mundo. À saída do encontro, relatou que as discussões tiveram como destaque os impactos da pandemia em âmbito global. Foram abordados, entre outros pontos, o aumento da pobreza absoluta no mundo, com o Brasil na contramão desse indicador e o desordenamento das cadeias produtivas de alimentação. Esses impactos, de acordo o ministro, se agravaram com a guerra entre Rússia e Ucrânia e a decorrente alta dos preços dos alimentos e da energia.

Segundo Guedes, a importância do Brasil no contexto da economia mundial pós-pandemia vem sendo analisada no exterior com crescente interesse, em razão das ações empreendidas no enfrentamento à crise sanitária e no combate à pobreza, de acordo com as regras da responsabilidade fiscal. Em sua avaliação, esses fatores — em conjunto com as reformas estruturantes e a mudança de eixo na economia, com prevalência dos investimentos privados — possibilitam a retomada da economia no país.

Relações com o México

Na sequência, o ministro participou de reunião bilateral com o ministro de Finanças do México, Rogelio Ramírez. Na ocasião, afirmou que Brasil e México enfrentaram com disciplina fiscal e monetária os efeitos da pandemia. Os ministros falaram sobre a melhoria do ambiente de negócios para mais investimentos cruzados e oportunidades para os países.

O México, segundo Guedes, tem interesse nos produtos agrícolas e agroindustriais do Brasil. Por outro lado, quer exportar mais automóveis. Ele salientou, no entanto, que o objetivo do governo é preservar o parque industrial brasileiro e mencionou as regras que o país segue em relação ao Conteúdo Local.

Banco Mundial

O ministro se reuniu ainda com representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e, durante a tarde, esteve presente à reunião do Constituency (Grupo) do Brasil no Banco Mundial — formado também por Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Panamá, Filipinas, Suriname e Trinidad y Tobago. Participou também do Diálogo com o Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos (Cebeu) onde se reuniu com empresários dos setores financeiro, de logística, químico, de tecnologia, de agroindústria, farmacêutico, de óleo e gás, entre outros.

ASCOM