Com resultados divulgados nas últimas três semanas, as pesquisas do Ipec, contratadas pela TV Globo e afiliadas, que cobriram 25 estados e no Distrito Federal, revelam um primeiro desenho do mapa da disputa presidencial, após o início da campanha.

De acordo com os números, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por enquanto, conseguiu avançar na conquista de eleitores, em regiões que deram vitória ao presidente Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição de 2018. Os dados apontam, ainda, que os dois candidatos ao Palácio do Planalto estão tecnicamente empatados, considerando a margem de erro, em seis estados, incluindo o populoso Rio de Janeiro.

Compilando os dados das rodadas de pesquisa já disponibilizadas, Lula, que está a frente na corrida a nível nacional com 12 pontos de vantagem, lidera até o momento em 14 estados. São eles todos os do Nordeste, além de São Paulo e Minas Gerais —maiores colégios eleitorais do país—, Amazonas, Rio Grande do Sul e Tocantins. Nas quatro primeiras unidades da federação, Bolsonaro conquistou maioria há quatro anos.

Bolsonaro, por outro lado, está à frente na corrida presidencial em cinco estados e no Distrito Federal, locais onde também venceu no pleito passado. O grupo inclui Santa Catarina, onde marca 50% das intenções de voto. No Distrito Federal, o presidente está sete pontos à frente de Lula, com 38%. Em Roraima e Rondônia, chega a marcar, respectivamente, 66% e 54%, seus melhores desempenhos. Bolsonaro também tem vantagem sobre Lula no Acre (23 pontos) e no Mato Grosso (18 pontos).

Lula tem seus melhores resultados no Piauí e no Maranhão, onde chega às marcas de 69% e 66% das intenções de voto, respectivamente. Sua vantagem sobre Bolsonaro é menor no Tocantins (7 pontos), no Rio Grande do Sul (8 pontos) e em São Paulo, em que aparece com 40% dos votos, contra 31% do atual presidente. Nesses estados, a vantagem do petista fica abaixo da média nacional.

Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), por sua vez, se destacam nos seus respectivos estados. Ciro chega a 14% e empata em segundo lugar com Bolsonaro no Ceará, enquanto Tebet marca 8% dos votos no Mato Grosso do Sul, onde fica na terceira posição, à frente do pedetista.

Metro1