Certamente que você já ouviu falar bastante em criptomoedas, pois elas são tema frequente nos noticiários. Sobretudo quando o assunto é economia, finanças, negócios ou tecnologia.

Mas se você está pensando em investir em criptoativos, é bom saber mais ou menos como eles funcionam, para que não haja arrependimento caso não alcance o resultado esperado. Pois investir é algo sério e esta atividade não pode ser encarada de outra maneira.

De fato, as moedas digitais com base em criptografia estão fazendo bastante sucesso em todo o mundo. Já que se multiplica o número de pessoas que começam a aplicar suas economias em investimentos atrelados as mesmas.

Corretoras e exchanges de criptomoedas (boas e ruins) se multiplicam pelo mundo colocando ao alcance de qualquer pessoa a possibilidade de investir nesse segmento inovador da economia mundial.

Mas o que faz das criptomoedas algo tão revolucionário é o sistema tecnologicamente avançado e protegido por trás delas: as blockchains. Em princípio, são cadeias de blocos que oferecem um meio seguro e inviolável para as operações com criptodivisas.

Embora inovadoras, as criptomoedas já contam com mais de 10 anos de existência. Já que a pioneira delas: o Bitcoin, surgiu em meados de 2009. E durante sua trajetória deixou algumas pessoas milionárias, principalmente no primeiro boom das criptomoedas, registrado em 2017.

Bitcoin: a rainha das criptomoedas

Em princípio, o bitcoin é a precursora das moedas criptográficas em todo o mundo, criada por alguém cujo pseudônimo é Satoshi Nakamoto. Ao contrário das moedas convencionais, denominadas fiat, o Bitcoin não é regulado por uma autoridade bancária.

Ou seja, não há um Banco Central por trás da criptomoeda ditando as regras de funcionamento do seu sistema. Sendo este um dos principais motivos pelo qual as criptomoedas têm sido tão bem aceitas pelos jovens modernos que prezam por sua privacidade financeira.

A princípio, o processo de “produção” de novos bitcoins é denominado mineração, uma tarefa um tanto complexa que implica o uso de poder computacional para resolução de problemas matemáticos complexos.

Sendo assim, os mineradores (como são denominados os envolvidos na mineração da criptomoeda) podem estar em qualquer parte do mundo. Posto que todo esse processo é efetuado de modo anônimo e online. Certamente eles são remunerados por isso.

Contudo, é importante saber que os Bitcoins estão limitados a 21 milhões de unidades. Por isso, à medida que o tempo passa fica mais difícil o processo de mineração, mas a cotação desta criptomoeda tende a subir constantemente.

Atualmente, o valor do Bitcoin já supera os 200 mil reais, ou seja, com um pouco mais de um milhão de reais é possível comprar somente 5 Bitcoins. Uma valorização surpreendente no decorrer dos seus poucos anos de existência.

No entanto, apesar do bitcoin ser a mais conhecida de todas as criptomoedas, ela não é a única. Pois, ao longo dos anos, já surgiram várias alternativas igualmente interessantes, como Ethereum, Ripple, Litecoin e muito mais.

Algumas das criptomoedas que surgiram após o bitcoin possuem tecnologia muito mais avançada que ele. Em outras palavras, apresentam blockchains mais eficientes e rápidas, características inovadoras e outras funcionalidades que fazem o bitcoin parecer um dinossauro.

Todavia, isso não tira o brilhantismo e valor da primeira moeda criptográfica do mercado. Pois ainda que tenham surgido muitas alternativas tecnologicamente superiores ao bitcoin durante estes últimos anos, nenhuma conseguiu superá-lo em termos de valor.

O que devo fazer para investir em Bitcoin e outras criptos?

Se acaso você está pensando em aplicar suas economias na compra de bitcoins e outras criptomoedas, saiba que isso é perfeitamente possível. Já que os investimentos deixaram de ser algo restrito a pessoas e empresas com grande capital.

Sem dúvida alguma, o avanço tecnológico tem possibilitado a uma legião de pessoas poder acessar o mercado financeiro e fazer seus investimentos. Inclusive, no conforto do seu lar e de modo prático e simplificado.

Uma internet banda larga, dispositivos eletrônicos (como computadores, notebooks, tablets e/ou smartphones) e uma conta aberta em uma corretora ou exchange são os ingredientes necessários para você acessar o mercado e poder negociar. Em suma, os requerimentos são mínimos.

Atualmente uma assinatura de internet banda larga e um dos dispositivos citados acima são acessíveis para qualquer pessoa. Dessa forma, resta apenas ao interessado saber escolher uma boa corretora ou exchange de criptomoedas, a StormGain e a Binance são ótimas opções, respectivamente.

Além disso, os procedimentos para a abertura de uma conta são simples, pois requerem somente alguns dados pessoais e o envio de documentos, o que pode ser feito online mesmo. Mas caso queira apenas provar a plataforma com uma conta demo, basta fazer um mero cadastro.

Contudo, vale lembrar que existem muitas opções fraudulentas e não regulamentadas no mercado. Por isso, se recomenda dar preferência para empresas conceituadas com pelo menos alguns anos em atividade e um bom número de clientes.

Desse modo, você pode investir com a confiança necessária de que os seus fundos estarão protegidos e sem risco de sumirem repentinamente. Corretoras e bolsas de criptomoedas confiáveis prezam por oferecer uma plataforma estável com ferramentas de segurança adicionais aos seus usuários.

Cuidados a serem tidos em conta ao investir

Antes de começar a investir suas economias em Bitcoins, Ethereuns ou quaisquer outras criptomoedas é essencial saber o que está fazendo. Visto que as criptodivisas são conhecidas por serem voláteis, ou seja, seus preços oscilam bastante.

Desse modo, apresentam risco como qualquer outro tipo de investimento. Por isso é bom que você destine a estas aplicações somente uma quantia que não sentirá falta no curto prazo. Mesmo porque as probabilidades de lucro sempre são maiores no longo prazo.

Igualmente, procure se informar sobre como funcionam os investimentos em criptomoedas. Pois, ter conhecimento é fundamental em qualquer área, primordialmente em um segmento onde você aplicará o seu capital.

Assim sendo, busque por sites especializados que abordem o tema de maneira didática e profunda. Para que você conheça os fundamentos sobre investimentos em criptomoedas e outros ativos digitais do gênero.

Por outro lado, entender como funciona a corretora ou bolsa de criptomoedas escolhida é necessário. Pois assim, você não será pego de surpresa com taxas e outras cobranças futuras inesperadas.

Um princípio básico para minimizar os riscos nos investimentos é a diversificação. Portanto, algumas pessoas costumam investir em uma variedade de moedas criptográficas e não somente em uma delas. Existem muitas, é preciso saber triar as que apresentam melhor potencial de crescimento.

Por fim, se optar por uma corretora procure uma opção que forneça conta de demonstração. Isto é, uma conta de negociação com dinheiro virtual voltada a simular operações de negociação.

Já que uma conta desse tipo é fundamental para que você possa aprender a operar a plataforma de modo prático e sem correr risco de perder dinheiro de verdade. Uma conta demo também é vital para testar novas estratégias de negociação.

O mercado de criptomoedas é surpreendente, a cada dia surgem novas opções em ativos com base em blockchain, como Fans Tokens e NFTs, por exemplo. Enfim, este setor oferece um mundo de possibilidades de investimento.