A direção da Santa Casa de Misericórdia de Santo Antônio de Jesus está tendo dificuldades para começar a atender pacientes com câncer na Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), que está prevista para funcionar dentro da Santa Casa. Segundo a superintendente da instituição Ludmilla Reis, há por parte da Vigilância Sanitária do Estado uma demora para expedir o documento, mesmo a instituição estando de acordo com os padrões exigidos.

”A gente hoje tem um único empecilho para que a Unacon comece a funcionar que é o alvará da Vigilância Sanitária do Estado. A vigilância já esteve aqui, foi feita a vistoria na Santa Casa não foi encontrada nenhuma irregularidade, pontuaram única e exclusivamente a utilização do poço que é gerenciado por uma empresa chamada WWT”, disse Ludmilla em entrevista a Rádio Recôncavo durante sessão na Câmara de Vereadores.

A superintendente ainda explicou que o empecilho seria o uso da água de um poço artesiano, mas que a Santa Casa passou a usar a água da EMBASA, e ainda assim a Vigilância não deu um retorno sobre o alvará.

“WWT é a mesma empresa que dá suporte ao São Rafael e ao Santa Isabel, hospitais de referência. Eu fiz um BitMart antes de trazer essa empresa, e os outros hospitais de Salvador conseguiram alvará, e em Santo Antônio de Jesus infelizmente não. A vigilância disse que está tendo uma mudança, que ninguém vai conseguir mais. A gente já parou de utilizar a água do poço, voltamos a utilizar a água da EMBASA esperando que eles retornassem, e isso já tem mais de três meses. Todo dia uma desculpa”, explicou.

Voz da Bahia