As marisqueiras da Comunidade Quilombola Capanema, no município de Maragogipe, território Recôncavo Baiano, vão ter mais segurança para desenvolver suas atividades. Isso porque agora contam com equipamentos de proteção individual e de pesca.

Os equipamentos foram entregues, neste mês de agosto, pelo projeto do Estado da Bahia, Bahia Produtiva, para a Associação de Marisqueiras e Quilombolas do Baixão do Guaí e Pijuru. O investimento total de R$ 271 mil também será destinado à agregação de valor aos produtos de origem da maré, principalmente o cultivo de ostras, com a entrega de insumos e embarcações.

A marisqueira e coordenadora da Associação, Maria Rita Pires de Lima, explica que a atividade de mariscagem é predominantemente feminina na comunidade. “As mulheres dependem do manguezal e dos mariscos para obtenção da sua renda mensal”.  Entre os equipamentos já entregues estão luvas, botas, camisas de proteção, balança, carrinho de mão para carregar as ostras, travesseiro para o cultivo e bancadas de criação.

A mariscagem tem se desenvolvido, simultaneamente, pela diversificação do tipo de espécies e pelo incremento da produção das principais espécies existentes. Além disso, tem capacidade de gerar empregos, diretos e indiretos, para as comunidades de pescadoras artesanais, existentes nas áreas costeiras da Bahia, a partir da captura e produção de alimentos de alto valor proteico.

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial.

ASCOM