Os militares ucranianos decretaram nesta segunda-feira, dia 16, o fim da “missão de combate” na usina siderúrgica de Azovstal, o último local de resistência à Rússia em Mariupol. O presidente Volodymyr Zelensky saudou os combatentes e disse que espera que seja possível salvar as vidas “dos nossos garotos”.

De acordo com a vice-ministra ucraniana da Defesa, Hanna Malyar, mais de 260 combatentes ucranianos, entre eles 53 feridos, foram retirados de Azovstal. Segundo Malyar, além dos 53 feridos, outros 211 foram levados para Olenivka por meio de um corredor. A ideia é que eles sejam trocados por combatentes russos. O comando militar da Ucrânia disse que os combatentes cuja missão terminou são “heróis do nosso tempo” e prometeu resgatar militares ainda presos no local.

“A guarnição ‘Mariupol’ cumpriu sua missão de combate. O comando militar supremo ordenou aos comandantes das unidades estacionadas em Azovstal que salvassem a vida de seu pessoal”, disse o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia em comunicado.

Bahia.Ba