Putin ordena cessar-fogo na Ucrânia durante o Natal Ortodoxo

Putin ordena cessar-fogo na Ucrânia durante o Natal Ortodoxo - guerraFoto: Roberto Stuckert Filho/ PR

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou um cessar-fogo nos ataques na Ucrânia entre às 12h do dia 6 de janeiro e à meia-noite do dia 7 por conta do Natal ortodoxo. A decisão veio após um pedido da aliada Igreja Ortodoxa Russa.

A Rússia anunciou nesta quinta-feira, dia 05, que irá cessar-fogo na Ucrânia durante o Natal ortodoxo, tipicamente comemorado nos dias 6 e 7 de janeiro. Nesta quinta-feira, dia 05, a Rússia anunciou ter ordenado um cessar-fogo nos ataques na Ucrânia durante o Natal entre às 12h do dia 6 de janeiro e à meia-noite do dia 7.

O cristianismo ortodoxo é seguido por grande parte dos fiéis ucranianos e russos. A Ucrânia ainda não se posicionou sobre a decisão de Putin. O país de Volodymyr Zelensky já havia demonstrado insegurança com o pedido de cessar-fogo por acreditar que essa possa ser apenas uma estratégia de guerra da Rússia.

Metro1

País da Otan é atingido pela primeira vez desde início da guerra entre Rússia e Ucrânia

País da Otan é atingido pela primeira vez desde início da guerra entre Rússia e Ucrânia - mundo, guerraFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Na última terça-feira, dia 15, dois projéteis de fabricação russa caíram em uma área rural da Polônia e deixaram, ao menos, duas pessoas mortas. A área fica a cerca de 5 km de distância da fronteira com a Ucrânia. Essa é a primeira vez, desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia, que um país membro da Otan é atingido.

Mateusz Morawiecki, primeiro-ministro polonês, já convocou reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional e um porta-voz do Pentágono reafirmou o compromisso de “defender cada polegada de território da Otan”. Ainda não está claro se caíram mísseis na área ou se eram fragmentos. A região atingida fica próxima de Lviv, a principal cidade do oeste ucraniano, que foi alvo de mísseis russos nesta terça-feira, dia 15. Um eventual ataque a um país membro, poderia levar a Othan a invocar o Artigo 5º da Carta da Aliança, que prevê a defesa de seus 30 países.

Para evitar essa reação, a Rússia precisaria comunicar à Polônia que se tratou de um acidente. Até agora, os governos dos Estados Unidos e da Rússia dizem que os mísseis não parecem ter sido disparados por forças de Moscou. No início da manhã desta quarta-feira, dia 16, o secretário-geral da Othan, Jens Stoltenberg, afirmou que a explosão foi provocada provavelmente por um míssil de defesa da área ucraniana, disparado para defender o território contra ataques de projéteis russos.

Metro1

Novos bombardeios atingem capital da Ucrânia

Novos bombardeios atingem capital da Ucrânia - mundo, guerraFoto: Reprodução/Redes Sociais - Anton Gerashchenko

A Rússia usou drones iranianos para bombardear a capital da Ucrânia, Kiev, na manhã desta segunda-feira, dia 17. Dados preliminares do governo ucraniano indicam que três pessoas morreram, entre elas uma mulher grávida de seis meses.

Ao menos 18 ucranianos ficaram feridos e dois estão soterrados. Além disso, um prédio de 120 anos, considerado patrimônio da cidade, foi destruído. Conhecida como ‘drones kamikazes’, a arma utilizada para o bombardeio causou vários incêndios e danificou quarteirões residenciais de Kiev.

Em tentativa de defesa, a Força Aérea da Ucrânia destruiu 15 drones e três mísseis de cruzeiro russos. A investida de Vladimir Putin seria um contra-ataque a uma ação, que considera como terrorista, que deixou 11 mortos e 15 feridos, no último sábado, dia 15, em um campo de treinamento da Rússia.

Metro1

Putin assina anexação de quatro territórios ucranianos à Rússia

Putin assina anexação de quatro territórios ucranianos à Rússia - mundo, guerraFoto: Roberto Stuckert Filho/ PR

O presidente russo Vladimir Putin assinou, nesta sexta-feira, dia 30, a anexação de quatro regiões do território ucraniano à Rússia. O movimento intensifica a guerra que já perdura há sete meses e dá início a uma nova imprevisível fase do confronto. Moscou declara que as regiões ucranianas de Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhzhia, em grande parte ou parcialmente ocupadas por forças russas ou apoiadas pela Rússia, fazem parte da Rússia.

A região equivale a praticamente um quinto da Ucrânia. O movimento de Putin aconteceu em uma cerimônia especial no Kremlin, na capital russa de Moscou. A anexação acontece após os chamados referendos realizados por autoridades apoiadas pela Rússia no leste e sul da Ucrânia sobre a adesão à Rússia. “As pessoas fizeram sua escolha clara”, disse Putin, nesta sexta-feira, dia 30. “A escolha das pessoas para fazer parte da Rússia está predicada na história”, acrescentou.

Os votos nos referendos são ilegais sob a lei internacional e foram rejeitados pela Ucrânia e nações ocidentais como “uma farsa”. “As pessoas foram separadas de sua pátria quando a União Soviética se rompeu”, afirmou Putin. “A Rússia não busca trazer a União Soviética de volta”, completou.

Metro1

Referendo russo é realizado em regiões separatistas da Ucrânia

Referendo russo é realizado em regiões separatistas da Ucrânia - mundo, guerraFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

As regiões ucranianas de Donetsk e Luhansk iniciam, nesta sexta-feira, dia 23, consultas populares sobre a anexação das áreas à Rússia. Moradores das áreas ocupadas por forças russas e suas milícias aliadas terão até a próxima terça-feira, dia 27, votar no referendo.

Os referendos ocorrem após uma contra ofensiva ucraniana no campo de batalha que levou a Rússia a perder territórios no nordeste da Ucrânia. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, declarou que essa é uma oportunidade para o povo decidir seu destino.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assegurou que os referendos não terão efeito sobre a ação que tem sido feita para expulsar os soldados russos. Ele prometeu ainda “liquidar” a “ameaça russa”.

Metro1

Putin ordena mobilização de soldados e ameaça guerra nuclear

Putin ordena mobilização de soldados e ameaça guerra nuclear - mundo, guerraFoto: Alan Santos/ PR

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, determinou pela primeira vez a mobilização de até 300 mil reservistas para lutar na Guerra da Ucrânia, uma protelada admissão de que sua campanha de 210 dias para subjugar o vizinho não vai como esperado. Em pronunciamento pré-gravado na TV nesta manhã (madrugada no Brasil), o russo disse também que irá proteger as populações de território ocupados que pretende anexar após referendos a serem feitos em quatro regiões ucranianas no leste e no sul do país a partir de sexta, dia 23.

E que está disposto fazer isso com armas nucleares contra os EUA e aliados que apoiam Kiev. Segundo o presidente, a Rússia enfrenta 1.000 km de linhas de frente contra o Ocidente na Ucrânia —uma referência ao fato de que os EUA e aliados forneceram bilhões de dólares em armas e inteligência a Kiev. “Na sua política agressiva antirrussa, o Ocidente cruzou todas as linhas”, disse Putin.

“Chantagem nuclear tem sido usada, e não estamos falando apenas do bombardeio da usina de Zaporíjia. Mas também de pronunciamentos de altos representantes da Otan sobre a possibilidade de usarem armas de destruição em massa contra a Rússia”, afirmou o líder —no domingo, dia 18, o presidente americano Joe Biden havia alertado o russo a não usar a bomba, insinuando reação proporcional. (mais…)

China inicia exercícios militares em torno de Taiwan

China inicia exercícios militares em torno de Taiwan - mundo, guerraImagem Ilustrativa de SpaceX-Imagery por Pixabay

A China disparou aos menos 11 mísseis balísticos em direção a Taiwan, nesta quinta-feira, dia 04. Os disparos fazem parte dos exercícios militares, que começaram em retaliação pela visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi à Taiwan.

Os disparos foram feitos de um arquipélago chamado Pingtan, que fica a cerca de 130 km de Taiwan. Segundo o governo da ilha, eles atingiram alvos na água, mas veículos como o nacionalista Global Times disseram que eles sobrevoaram o território taiwanês.

Taipé, a capital de Taiwan, considera que os exercícios são desenhados para mostrar como seria feito um bloqueio aeronaval da ilha, já que Pequim divulgou seis áreas de manobras em torno do território. De outros pontos foram disparados foguetes de artilharia de longo alcance. Também há relatos de navios de guerra chineses posicionados ao largo da costa oeste de Taiwan, além de helicópteros militares terem sido vistos em Pingtan.

Metro1

Presidente da Ucrânia fala com Bolsonaro sobre sanções à Rússia

Presidente da Ucrânia fala com Bolsonaro sobre sanções à Rússia - mundo, guerraFoto: Valter Campanato/ Agência Brasil

Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky conversou com o presidente brasileiro Jair Bolsonaro (PL) sobre sanções da Rússia.

Zelensky disse ter informado Bolsonaro sobre “a situação no front” e sobre o bloqueio à saída de grãos da Ucrânia. A Bolsonaro, o presidente ucraniano reforçou o pedido de sanções contra a Rússia.

A conversa acontece dias depois de Bolsonaro anunciar que o Brasil pode começar a receber óleo diesel da Rússia em 60 dias. O governo brasileiro ainda não se manifestou sobre a ligação.

Metro1

Ataque com mísseis russos bombardeia duas universidades na Ucrânia

Ataque com mísseis russos bombardeia duas universidades na Ucrânia - mundo, guerraFoto: Reprodução/ Vídeo

Ataques com mísseis russos em Mykolayiv, cidade no sul da Ucrânia, bombardearam e destruíram completamente duas universidades. Segundo o chefe da administração militar da cidade, Vitaliy Kim, o reparo das construções é “impossível” antes do início do período acadêmico.

“Hoje, a Rússia-terrorista atacou as duas maiores universidades em Mykolayiv. Ao menos 10 mísseis. Agora eles atacam nossa educação. Estou pedindo a universidades de todos os países democráticos que chamem a Rússia como o que realmente é – a terrorista”, escreveu Vitaliy Kim no Twitter, acompanhado do vídeo do ataque.

As autoridades russas ainda não se manifestaram sobre a situação. As universidades atingidas são a Universidade Nacional de Construção Naval e a Universidade Nacional de Mykolaiv. Além das instituições de ensino, duas casas e 11 apartamentos também sofreram impacto das explosões.

Metro1

Militares ucranianos decretam fim da missão em usina de Mariupol

Militares ucranianos decretam fim da missão em usina de Mariupol - mundo, guerraImagem Ilustrativa de Markus Distelrath por Pixabay

Os militares ucranianos decretaram nesta segunda-feira, dia 16, o fim da “missão de combate” na usina siderúrgica de Azovstal, o último local de resistência à Rússia em Mariupol. O presidente Volodymyr Zelensky saudou os combatentes e disse que espera que seja possível salvar as vidas “dos nossos garotos”.

De acordo com a vice-ministra ucraniana da Defesa, Hanna Malyar, mais de 260 combatentes ucranianos, entre eles 53 feridos, foram retirados de Azovstal. Segundo Malyar, além dos 53 feridos, outros 211 foram levados para Olenivka por meio de um corredor. A ideia é que eles sejam trocados por combatentes russos. O comando militar da Ucrânia disse que os combatentes cuja missão terminou são “heróis do nosso tempo” e prometeu resgatar militares ainda presos no local.

“A guarnição ‘Mariupol’ cumpriu sua missão de combate. O comando militar supremo ordenou aos comandantes das unidades estacionadas em Azovstal que salvassem a vida de seu pessoal”, disse o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia em comunicado.

Bahia.Ba

Dinamarca e Suécia reabrem embaixadas em Kiev, na Ucrânia

Dinamarca e Suécia reabrem embaixadas em Kiev, na Ucrânia - mundo, guerraImagem de Leonhard Niederwimmer por Pixabay

Dinamarca e Suécia anunciaram nesta segunda-feira, dia 02, que vão reabrir suas embaixadas em Kiev, capital da Ucrânia, como apoio ao país e contra a invasão russa. Em seu perfil no Twitter, a ministra das Relações Exteriores sueca, Ann Linde, disse: “na quarta-feira, a embaixada sueca voltará a Kiev (…). A Suécia seguirá ao lado da Ucrânia”.

Antes, em uma visita surpresa, o ministro dinamarquês das Relações Exteriores, Jeppe Kofod, cuja viagem não foi anunciada previamente, disse que “é um símbolo muito forte do apoio dinamarquês à Ucrânia e ao povo ucraniano reabrir hoje a embaixada da Dinamarca”.

A diplomacia americana anunciou, também nesta segunda-feira, dia 02, que espera fazer o mesmo “até o final do mês”.

Metro1

Rússia corta fornecimento de gás natural para Bulgária e Polônia

Rússia corta fornecimento de gás natural para Bulgária e Polônia - mundo, guerraImagem de Anita starzycka por Pixabay

A estatal russa de energia Gazprom interrompeu nesta quarta-feira, dia 27, o fornecimento de gás à Bulgária e à Polônia. A empresa exige o pagamento em rublos (moeda da Rússia) pois o país está suspenso do sistema econômico internacional – uma das das sanções impostas pelo Ocidente devido à guerra da Ucrânia.

Polônia e Bulgária são os primeiros países a terem o gás cortado pelo principal fornecedor da Europa desde o início do conflito estre Rússia e Ucrânia, em 24 de fevereiro. A Gazprom também alertou que o transporte do combustível via Polônia e Bulgária – que abrigam gasodutos que abastecem a Alemanha, Hungria e Sérvia – seria cortado se o gás fosse levado ilegalmente.

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que os países “hostis” à Rússia abram contas no Gazprombank e façam pagamentos pelas importações de gás russo em euros ou dólares que seriam convertidos em rublos. Varsóvia e Sofia afirmam que a interrupção do fornecimento é uma quebra de contrato da Gazprom, a maior empresa mundial no setor de gás natural.

Bahia.Ba

Governo russo afirma controlar Mariupol e desiste de ataque

Governo russo afirma controlar Mariupol e desiste de ataque - mundo, guerraImagem de Oleg Mityukhin por Pixabay

Afirmando já ter garantido o controle da cidade estratégica de Mariupol, o governo da Rússia relatou nesta quinta-feira, dia 21, ter desistido de atacar o complexo metalúrgico de Azovstal. O local abriga cerca de 2 mil soldados e 120 mil civis ucranianos.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, reconheceu que a Rússia ocupou maior parte da cidade. Entretanto, segundo Keiv,as tropas russas não são capazes de conquistar o complexo. Azovstal tem 6 quilômetros quadrados, além de túneis, passagens subterrâneas e dezenas de galpões.

Trata-se de uma das maiores metalúrgicas da Europa inteira e que fica na área do porto da cidade, considerada estratégica pela Rússia justamente por ter saída para o mar de Azov e estar entre as regiões separatistas de Donetsk e Luhansk e a da Crimeia, que foi anexada por Moscou em 2014.

G1

Putin ameaça instalar armas nucleares na fronteira se Finlândia e Suécia aderirem à Otan

Putin ameaça instalar armas nucleares na fronteira se Finlândia e Suécia aderirem à Otan - mundo, guerraFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

O governo russo reagiu contra a possível entrada da Finlândia e da Suécia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e ameaçou usar armas nucleares. O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev – um dos mais próximos interlocutores do presidente Vladimir Putin (foto em destaque) –, fez o alerta. “Não se poderá falar mais de um Báltico livre de armas nucleares, o equilíbrio tem de ser reposto”, resumiu.

Ele acrescentou: “Até hoje, a Rússia não tomou tais medidas e não iria. Mas, se nossa mão for forçada… Tome nota de que não fomos nós que propusemos isso”. Medvedev foi presidente da Rússia entre 2008 a 2012.

Uma cúpula da Otan está prevista para 29 e 30 de junho em Madri, na Espanha. Analistas acreditam que a candidatura da Finlândia será anunciada até lá.

Bahia.Ba

“É uma tragédia, mas não havia escolha”, diz Putin sobre guerra na Ucrânia

"É uma tragédia, mas não havia escolha", diz Putin sobre guerra na Ucrânia - mundo, guerraFoto: Alan Santos/ PR

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira, dia 12, que “o que está acontecendo na Ucrânia é uma tragédia”, mas não havia alternativa.

“Simplesmente não havia escolha, a única questão era quando começaria. Isso é tudo”, declarou Putin, segundo relato da agência russa Tass, após encontro com o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, seu aliado. Mais cedo, ele já havia dito que o confronto com a Ucrânia era inevitável, uma questão de tempo. “O passo certo, não havia outra escolha.”

Putin disse que considera Rússia, Ucrânia e Belarus um “povo trino”. O russo disse que sempre tratou Belarus como um irmão. “E nada mudou aqui nos últimos meses. Não tínhamos dúvidas de que, se alguém nos apoiasse, seria Beralus”, comentou. Os três países integravam a União Soviética, dissolvida na década de 1990.

Metro1

Ucrânia diz que soldados russos roubaram substâncias radioativas de Chernobyl

Ucrânia diz que soldados russos roubaram substâncias radioativas de Chernobyl - noticias, mundo, guerraFoto: Michael Kötter/ Flickr Commons

A Agência Estatal de Gerenciamento da Zona de Exclusão da Ucrânia informou, neste domingo, dia 10, que as forças russas que ocuparam a usina nuclear de Chernobyl saquearam dois laboratórios e roubaram 133 substâncias com altos níveis de radiação que, dependendo do manuseio, podem ser letais.

“Mesmo uma pequena parte desta atividade é mortal, se manipulada de forma pouco profissional. Atualmente, a localização das fontes roubadas é desconhecida”, afirmou a agência em sua conta no Facebook.

As forças armadas da Rússia cercaram Chernobyl em 24 de fevereiro, o primeiro dia da invasão ao país, e permaneceram na zona até o dia 31 de março. Nesta semana, o ministro ucraniano da Energia, German Gulashchenko, afirmou que os soldados russos foram expostos a uma quantidade “assustadora” de radiação, e alguns podem ter menos de um ano de vida.

Metro1