Jovina Souza, natural de Feira de Santana e residente em Salvador, foi a escritora homenageada pela Feslam – I Festa Literária de Amargosa, realizada entre os dias 6 e 8 de dezembro, em Amargosa. O evento foi realizado pela UFRB e Prefeitura Municipal, com o apoio da Secretaria de Educação do Estado e IFBA de Santo Antônio de Jesus.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Jovina falou que foi uma honra muito grande ser homenageada pela 1ª edição da Feslam, uma semente importante que está sendo lançada em Amargosa, um território de negros e negras, onde tem uma universidade federal com muitas turmas de licenciaturas.

Jovina tem três livros publicados, Agdá em 2012, Caminho das Estações em 2018 e O Amor Não Está, que foi publicado no inicio de 2019. A poética de Jovina tem como base estética a história, a memória, os feitos, a vida e o cotidiano do povo preto no Brasil.

Jovina concluiu agradecendo aos organizadores da Feslam pela homenagem e a todos que se emprenham na cultura. Segundo ela, “a cultura tem que ser entendida como um produto de primeiríssima necessidade pra todos nós brasileiros”.

Reportagem e redação: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo