Santoantoniense resolve inovar ao procurar emprego. Há um ano que concluiu a faculdade de história, Andrielle Antônio dos Santos de Jesus, 25 anos, recorreu à poesia para expressar sua necessidade de trabalhar e transformou seu currículo em versos e rimas. A atitude inovadora da santoantoniese ganhou repercussão e ela foi chamada para entrevistas em algumas escolas. Segundo ela, o desemprego afetou sua autoestima e, como forma de desabafar o que sentia, ela teve a ideia de criar o currículo em forma de poesia no dia 05 de novembro e compartilhou num grupo de WhatsApp de amigas escritoras negras.

“Eu perdi, de certa forma, minha independência. E isso mexeu muito comigo”, conta. Com apoio das amigas, Andrielle colocou o poema em forma de cartões e enviou para a rede de amizades, até chegar aos possíveis empregadores. Todos falaram que gostaram muito do meu currículo e que, provavelmente, haverá vagas no próximo ano”, conta. Ela que tem experiência em estágios realizados na rede municipal de ensino durante dois anos, já entregou o currículo em 15 escolas de Santo Antônio de Jesus e por e-mail para as cidades de Amargosa, Mutuípe e Jiquiriçá.

“Às vezes, tenho a sensação de que nem olham o currículo, jogam fora. Infelizmente, ainda conta muito ter alguém que indique”, lamenta. Além de contar com ajuda para envio do seu currículo, uma professora de São Miguel das Matas se ofereceu para pagar a taxa de inscrição de R$ 100 do concurso público que Andrielle vai prestar, que oferece 2,4 mil vagas na rede estadual de ensino.

A professora de história ainda tem lutado contra o avanço de uma doença degenerativa da córnea, o ceratocone, cujo tratamento para ela é caro. E Andrielle novamente recorreu à escrita para lidar com o problema e criou um blog para falar sobre o assunto. Ela também conta com uma rede de apoio para ajudá-la no custeio das despesas do tratamento que incluem trocas de lentes de contato e viagens para exames e consultas em municípios vizinhos.

“A visibilidade do pedido de emprego trouxe inúmeras coisas boas, apesar de ainda não ter conseguido um emprego. Pessoas dispostas a me ajudar, uma rede de afetividade”, diz. Apesar das dificuldades que tem passado, tendo que depender da mãe e da avó e de alguns bicos de correções de trabalhos acadêmicos e pesquisas para sobreviver, Andrielle está otimista sobre seu futuro. “Eu sou esperançosa. Eu acredito que existem muitas pessoas boas no mundo, mesmo com tantas notícias ruins. Por isso, tenho certeza que momento certo o emprego certo irá surgir.”

Santoantoniense recém-formada busca emprego com currículo em forma de poesia - saj, destaque

Foto: Arquivo pessoal

G1/ Bahia