Alguns usuários do transporte coletivo na cidade de Santo Antônio de Jesus (BA), procuraram a redação do Tribuna do Recôncavo nesta sexta-feira, dia 15. Segundo eles, os ônibus estão super lotados e em péssimo estado de conservação, necessitando de reformas, ônibus que chegam no ponto da feira (terminal) sem a localização exata, e em alguns casos os cobradores são mal humorados e mal instruídos.

Como se não bastasse esses transtornos diários, nesta sexta (15), os cobradores voltaram a ficar com uma prancheta em mãos, e a cada idoso que entra no ônibus precisa anotar seus dados (nome do idoso, número do RG e número do CPF). Como os idosos entram pela porta do fundo, o cobrador se dirige até estes para obter os dados, enquanto isso os passageiros querem passar na roleta, mas não há cobrador. Resultado: o motorista faz paradas e espera normalizar para prosseguir o percurso, gerando transtorno, atrasos para quem precisa trabalhar e tem horário a cumprir.

Nesta última sexta-feira (15), no horário de pico das 7 da manhã, na linha do SESC, houve discussão entre cobrador e uma idosa, porque esta não queria ter seu CPF anotado e questionava para que. O cobrador irônico dizia que era pesquisa para o prefeito da cidade. Em contato com o secretario de transporte, Clovis Ezequiel, o mesmo informou que a ordem de coletar dados dos idosos não partiu do município.

Diante de todo esse transtorno, que haja providências para que esse caos se normalize e cada cobrador volte à sua função rotineira.

Jocinere Soares/ Tribuna do Recôncavo