O Dia Mundial do Software Livre que transcorre neste sábado, dia 17, terá um evento especial no Centro Histórico de Mucugê, cidade da Chapada Diamantina, tombada (1980) como ‘Patrimônio do Brasil’ pelo IPHAN, para discutir impactos, benefícios e seguranças dos softwares livres usados por todas as pessoas que trabalham com computadores e sistemas informatizados.

O evento acontece na Universidade Livre da Chapada (Rua do Cruzeiro, 58, Mucugê), a partir das 14h com roda de conversa sobre ‘Software Livre e Cultura Colaborativa’, às 15h acontece a ‘Oficina Rede Cultura Viva’ e às 17h o ‘Set do DJ VirguLinux’. A palestra inicial é de Pedro Jatobá, mestre em Gestão Social e Desenvolvimento de Territórios (Ufba), bacharel em Ciência da Computação (Unicap/Unisinos), ex-diretor de Tecnologia e Comunicação no Instituto Intercidadania, Analista de Sistemas e Educador na Cooperativa EITA.

DIA MUNDIAL e NASA/USA

De acordo com a presidente do Conselho de Cultura de Mucugê, Luciana Moniz, o Dia Mundial do Software Livre é celebrado nesta data (17.09) para estimular a conscientização dos usuários. “Sistemas para eleição, lazer, trabalho, educação e arte são alguns exemplos do uso de softwares livres”, diz Luciana. Ela explica que ter o código-fonte aberto garante que você pode verificar a existência de spyware (software espião), manipulação de dados e outras informações que não se tem acesso em um software fechado, como o de softwares de algumas empresas privadas que bloqueiam essas informações.

“O uso de Software Livre pode dar ao usuário liberdade para criar, compartilhar, inventar, colaborar, sem custos ou bloqueios de fábrica, com menos vírus (GNU/Linux) e com mais ética”, compara a presidente do Conselho. Ela exemplifica que os softwares livres são sistemas confiáveis e estáveis, reduzem a distância entre produtores e consumidores, agregam comunidades de suporte e rede de tutoriais. “Segundo os especialistas é também uma forma de resistência aos monopólios tecnológicos”, completa Luciana. Grande parte do mundo corporativo, como a NASA (USA), por exemplo, usa códigos abertos, produzindo projetos de grande escala e pouco custo.

CHAPADA DIAMANTINA

Experiências com softwares livres estão presentes também fora dos grandes centros urbanos. Grupos culturais de Mucugê (Chapada Diamantina), por exemplo, utilizam softwares livres. A Universidade Livre da Chapada disponibiliza programas livres para uso dos agentes culturais locais e do Conselho de Cultura de Mucugê.

Entre os softwares utilizados em Mucugê, por exemplo, estão a plataforma de videoconferência Miti.Jitsi, e-mails institucionais do Hostinger, pastas de arquivos e documentos online no sistema Rios, e formulários de pesquisa online do portal chapada.ba que também hospeda o Rede Cultura Viva Mucugê. Mais informações: (75)98110-9122, (71) 98800-6033 e https://wiki.softwarefreedomday.org/2022/Brazil/ChapadaDiamantina.

SERVIÇO

Dia Mundial do Software Livre Mucugê

Sábado, 17/09

14h: Roda de conversa sobre Software Livre e Cultura Colaborativa

15h: Oficina Rede Cultura Viva Mucugê

17h: Set do DJ VirguLinux

Na Universidade Livre da Chapada (R. do Cruzeiro, 58, Centro Histórico de Mucugê)

Ministrante: Pedro Jatobá

*Pedro Jatobá é mestre em Gestão Social e Desenvolvimento de Territórios (UFBA), bacharel em Ciência da Computação (UNICAP/UNISINOS), foi diretor de Tecnologia e Comunicação no Instituto Intercidadania, é Analista de Sistemas e Educador na Cooperativa EITA, e contribuiu na concepção da Rede Colaborativa iTEIA, onde atua na formação e articulação. Jatobá foi presidente do Conselho de Cultura de Mucugê, onde continua atuando como consultor de tecnologia e conselheiro. É também DJ, com pesquisa voltada para ritmos nordestinos, desde forró de rabeca às sambadas de coco passando pelo manguebeat.

Matéria: Geraldo Aragão