Quer investir no agronegócio ou no setor industrial? Então seu destino é Jequié, município localizado no sudoeste baiano, a 377 quilômetros de Salvador. Compreendendo os biomas caatinga e Mata Atlântica, com uma zona de transição conhecida como Mata de Cipó, abastecida pela bacia do Rio de Contas e imenso potencial hídrico apto para desenvolver a agricultura irrigada, o município de Jequié destacou-se no ranking nacional elaborado pela consultoria Urban Systems, publicado pela revista Exame. Jequié foi citada como a terceira melhor cidade na Bahia para gerar negócios no setor agropecuário e a quarta no setor industrial, embalada pelo importante distrito industrial que possui.

De acordo com os dados, em relação à Bahia, Jequié ocupa o quarto lugar como a melhor cidade baiana para o setor da indústria, ficando atrás de Vitória da Conquista, Barreiras e Camaçari. Situada em privilegiada localização geográfica, beneficiada por rodovias federais e estaduais, a cidade possibilita às indústrias eficiente estrutura viária para a logística operacional, com a ênfase de contar com um distrito industrial. Além disso, o prefeito do município, Zé Cocá, defende a implantação de um aeroporto regional, beneficiando não só Jequié, mas a todos os municípios do Médio Rio de Contas e do Vale do Jiquiriçá.

De acordo com o prefeito de Jequié, Zé Cocá, esse destaque obtido pelo município “confirma que Jequié é a melhor opção para a implantação do modal ferroviário da FIOL, dada a sua estratégica localização geográfica, sendo um grande ponto de interligação da ferrovia com a BR-116 e com a BR-330”. A pesquisa da consultoria Urban Systems analisou municípios com mais de 100 mil habitantes, nos eixos econômicos comércio, serviço, indústria, mercado imobiliário, educação e agropecuária. Entre as 100 cidades brasileiras classificadas como as melhores para fazer negócios, Jequié ocupa a 31ª posição na classificação nacional, relativa ao setor de agropecuária, e está na 93ª classificação nacional no setor da indústria, deixando para trás Barreiras, Campinas, Porto Alegre, Ribeirão Preto e Goiânia.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: ASCOM