Por: Luciano Ferreira Lima – Consultor e Gestor de Projetos Políticos, Mestrando em Ciência Política, Advogado, Professor Universitário e Articulista. 

Parte 7

Da série:

A Construção de um Projeto Político Eleitoral.     

Esse é o sétimo texto da apresentação semanal de um conjunto de artigos sobre   A Construção de um Projeto Político Eleitoral.

No artigo de hoje, conversaremos sobre a Aplicação da Matriz SWOT no Processo Eleitoral.

Esperamos que você, que iniciou essa leitura e se interessa pelo tema, acompanhe aqui, as publicações semanais dos artigos e, se possível, visite minhas redes sociais e compartilhe com os amigos.

BOA LEITURA!

Análise SWOT: O que é e para que serve, saiba como fazer uma análise estratégica do seu projeto político.

Análise SWOT é uma ferramenta utilizada para fazer análise pessoal e ambiental, sendo a base do planejamento estratégico e da gestão em uma empresa ou projeto. Graças à sua simplicidade pode ser utilizada para qualquer tipo de análise de cenário, desde a criação de um projeto de pessoal de curto prazo à gestão de uma multinacional.

Essa técnica utiliza um sistema simples de verificação dos fatores internos (Forças e Fraquezas) e externos (Oportunidades e Ameaças), presentes nos objetos em análise. um sistema simples destinado a posicionar ou verificar a posição estratégica da empresa, instituição ou pessoa no ambiente em questão.

Elaborada pelo norte-americano Albert Humphrey, na década de 1960, durante o desenvolvimento de um projeto de pesquisa na Universidade de Stanford, a Análise SWOT, vem sendo aplicada em vários seguimentos do mundo dos negócios e da política.

Com a Análise SWOT, busca-se conhecer melhor uma pessoa física ou jurídica, um produto ou um serviço, em seu componente intrínseco (ambiente interno) e o cenário em que está ou pretende estar inserido (ambiente externo).

Identificando desse modo suas “forças e as fraquezas”, bem como as “oportunidades e ameaças” presentes, para que se possa, então, potencializar ou neutralizar eventos e ações que afetem o sujeito ou objeto, sob investigação.

No âmbito da política, a análise SWOT, é de essencial importância e deve ser realizada no início da construção do projeto eleitoral, como forma de identificar as forças e as fraquezas do candidato, assim como as oportunidades e as ameaças presentes no ambiente político e eleitoral em que se dará a disputa política.

A aplicação dessa ferramenta impõe uma reunião entre o consultor político e 3 ou mais pessoas que conheçam bem o candidato. Ali será aplicado um questionário indagando sobre as virtudes e as dificuldades do mesmo.

Essas informações servirão de base para a identificação de alguns aspectos que envolvem as forças e as fraquezas do candidato.

Em um segundo momento essas informações serão analisadas pelo aplicador da ferramenta, visando identificar: as consequências, as ações potencializadoras ou neutralizadoras e as zonas de risco, que envolvem o achado.

Assim exemplificadas:

Análise SWOT – Forças e Fraquezas Pessoais do Candidato.

  • Forças ou Virtudes Identificadas: Empatia e Simpatia.

Consequências: Facilita os relacionamentos, tornando-os agradáveis, leves e recíprocos. Evidencia atenção e preocupação com os outros; a humildade, o carinho e a solidariedade…

Ações Potencializadoras: Intensificar relações com formadores de opinião. Intensificar a presença em ambientes familiares; ampliar relacionamentos com pessoas que reconhecidamente necessitam de atenção afetiva e, com pessoas portadoras de necessidades especiais. Mostrar-se solidário às pessoas em condição ou situação degradante. Incluir em seus discursos, elementos de conexão e sinergia com causas sociais que reflitam sentimentos simétricos comuns.

Zona de Risco: parecer hipócrita.

Na outra ponta, as fraquezas identificadas no candidato, levarão ao mesmo estudo conforme segue:

  • Fraqueza do Candidato: Baixa Capacidade Cognitiva.

Consequências: Dificuldade em memorizar nomes, datas etc. Dificuldade em realizar tarefas, e tomar decisões, que exijam raciocínio lógico etc.

Ações Neutralizadoras: Evitar ambientes muito dinâmicos, como debates, entrevistas, palestras etc. Fortalecer as relações pessoais baseadas nas emoções. Ser bastante pragmático em suas ações e reações e utilizar a retórica como argumento.

Zona Risco: tornar-se repetitivo em suas manifestações.

Para a análise do ambiente externo, a reunião deve contar, além do candidato, com a presença de 3 ou mais pessoas que o conheçam, mais que também tenham uma razoável leitura do ambiente onde será realizada a eleição.

As oportunidades e as ameaças que o ambiente externo apresenta, podem ser assim representadas:

  • Oportunidades Identificadas: Cenário pouco competitivo.

Consequências: mais eleitores persuasíveis e indecisos, menor embate político, maior facilidade em estabelecer reputação.

Ações Potencializadoras: investir mais em relacionamento direto com os cidadãos, em especial aqueles formadores de opinião. Proporcionar maior experiencia entre eleitores e o candidato, pactuar demandas possíveis de serem realizadas antes das eleições etc.

Zona de risco: maior exposição do candidato

  • Ameaças Identificadas: cenário de disputa com vários candidatos à reeleição.

Consequências: encarecimento da campanha,  dificuldade na adesão voluntaria e apequenamento do candidato.

Ações Neutralizadoras: investir no discurso do voto local, como facilitador da proximidade entre o cidadão e o político; da avaliação do mandato dos adversários, da renovação, do conhecimento e do compromisso com a solução dos problemas locais. Buscar apoio de políticos do mesmo peso dos concorrentes, para uma dobradinha, se aplicável; criar narrativa em favor da renovação política etc.

Zona de Risco: ser identificado, pelo eleitor, como uma candidatura com pouca possibilidade de sucesso.

Os resultados encontrados nas investigações pessoal e ambiental, serão estudados minuciosamente, resultando na elaboração de planilhas apontando as ações necessárias à potencialização ou a neutralização dos eventos, conforme o interesse do projeto eleitoral, assim como o momento, o local e a forma em que se consistirão em essas ações.

Esse conjunto de informações, associado as entrevistas, ajudarão na construção de um projeto político baseado nas realidades objetiva e subjetiva tecnicamente investigada.

Para realizar agora mesmo a análise SWOT do seu projeto e receber minha ajuda, clique aqui e responda um questionário super rápido e receba gratuitamente o resultado.

Faça a sua Análise SWOT e você irá se surpreender.

Um forte abraço.

Na próxima semana, aprenderemos: Como Utilizar as Emendas Parlamentares em um Projeto Político e Eleitoral.

Até lá.

O que começou neste artigo pode continuar nas redes sociais, inscreva-se em meu canal no Youtube, siga-nos no Instagram e no Facebook.

Obrigado!

Sobre o autor:

Eleições 2022 - A Aplicação da Análise SWOT no Projeto Eleitoral. - artigosLuciano Ferreira Lima

Consultor e Gestor de Projetos Políticos,

Mestrando em Ciência, Política, Advogado,

Professor Universitário e Articulista.