Promover a popularização da ciência, incentivado o conhecimento científico de maneira lúdica e interativa. Esse é o principal objetivo da Praça da Ciência, projeto capitaneado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). Com a inauguração nesta quinta-feira (11), dia do estudante, na cidade de Jussiape, na Chapada Diamantina, na Escola Municipal Professor José Manços Freire, de mais uma unidade da Praça da Ciência, o Estado da Bahia contabiliza 39 equipamentos entregues.

A Praça da Ciência conta com sete equipamentos lúdico-científicos, possibilitando que os estudantes da rede pública de ensino possam conhecer na prática conceitos dados em sala de aula pelos seus professores. Conchas acústicas, harpa de tubos, gangorra, balanços de comprimentos diferentes, cadeira giratória, alavanca, bicicleta geradora e poço infinito são os brinquedos que compõem a praça.

Inicialmente, em primeira etapa, a Secti entregou 36 Praças da Ciência em toda a Bahia. Nesta segunda etapa, já foram entregues praças em Sobradinho, Irecê e Jussiape. Ainda estão previstas mais oito praças em cidades como Salvador, Itabuna, Itamaraju e Feira de Santana. Com a segunda etapa, a Secti levou as praças para dentro das escolas, diferente da primeira etapa, quando o equipamento era instalado em praças públicas próximas a unidades escolares.

A diretora de Políticas e Programas da Secti, Sahada Luedy, destacou a importância da implantação das praças nas escolas. “Quando a praça fica dentro das escolas, permite uma ideia de pertencimento à escola e aos próprios alunos, além de servir como minicentro interativo de ciência para outras escolas e comunidade do próprio município. Dentro do projeto, a gente prevê que as praças sejam visitadas por outras escolas, criando, assim, uma comunicação entre escolas através da ciência”, disse.

ASCOM SECTI