O prefeito de Jequié (BA), Zé Cocá (PP), criticou a gestão da Chesf [Companhia Hidrelétrica do São Francisco] na gestão da Barragem da Pedra, que teve o volume aumentado com as chuvas recentes. Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, dia 26, Cocá declarou que a Companhia não se preparou para evitar a enchente e o que há é uma desorganização por parte da entidade.

“A cheia do Rio de Contas, na minha concepção, foi uma desorganização da Chesf, porque havia uma previsão desde o dia 18 de grandes volumes de chuvas nos dias 24 e 25. Por que a Chefs não vinha soltando água? Nós temos 40 dias pedindo à Chesf um plano de inundação. A Chesf nunca nos deu. A Chesf só tem plano de rompimento de barragem. A prefeitura de Jequié não tem nenhuma informação para saber qual seria o nível que a água chegaria caso acontecesse essa vazão acima de 2 mil metros [cúbicos] por segundo”, disse Cocá, que também é presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB).

O prefeito informou que esteve com dirigentes da companhia ainda na manhã desta segunda, mas não há uma solução para o caso encaminhada. Conforme o gestor, nesta segunda já são cerca de 150 pessoas desabrigadas, com duas mil residências danificadas. Uma das áreas mais afetadas é o comércio, com mais de cinco mil pessoas afetadas pelos estragos causados pelas chuvas, o que inclui os comerciantes do Centro de Abastecimento, que foi evacuado neste domingo devido à enchente.

Editado pelo Tribuna do Recôncavo | Informações: Bahia Noticias