O destino do futuro vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) já está selado. Além da vice-presidência, o político ocupará o Ministério da Indústria e Comércio, segundo divulgou o Estadão. O anúncio deve ser feito nesta quinta-feira, dia 22, pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que decidiu chamar Alckmin após empresários de renome recusarem o convite. Estudioso de assuntos como reforma tributária, Alckmin tem bom trânsito no setor produtivo e, na avaliação de Lula, pode atuar como um facilitador do diálogo do governo com o mundo industrial.

Antes de decidir pelo vice-presidente Lula fez outros convites para a pasta, sem sucesso. Nos últimos dias, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes da Silva, e Pedro Wongtschowski, do Grupo Ultra, não aceitaram chefiar a pasta.

Desde que saiu do PSDB e aceitou ser vice de Lula, filiando-se ao PSB, Alckmin tem feito reuniões com empresários e especialistas em orçamento.  Visto como um curinga na equipe, Alckmin já foi cotado para ser ministro da Fazenda e até da Defesa. As duas pastas, porém, já têm titulares anunciados – Fernando Haddad e José Múcio Monteiro, respectivamente. O vice-presidente eleito sempre se define como um “co-piloto” de Lula.

Metro1