Presente na sala de imprensa da Arena Fonte Nova após a derrota para o Sergipe, o técnico Enderson Moreira, do Bahia, desaprovou a atuação da equipe na partida nesta quarta-feira (10). O comandante afirmou que o time vive um momento ruim, mas fez questão de defender o seu trabalho no Fazendão.

“Não é questão de ser confortável. Foi muito abaixo do que a gente sabe, foi um jogo aquém do que temos executado. Só tem que respeitar, cheguei em um momento complicado… Estamos vivendo um momento de inconstância de resultados ruins. Estou sempre fazendo o meu melhor e essa é a minha consciência”, afirmou.

Vaiado e muito criticado pelos torcedores, Enderson destacou que a insatisfação da torcida pela falta dos resultados é normal. “O torcedor que veio aqui quer o resultado. Quando isso não acontece, estamos sujeitos a escutar a insatisfação. É um sentimento deles do que eles estão vendo”, indicou.

Enderson também falou sobre a diretoria tricolor e uma possível permanência. Segundo ele, a cúpula acompanha o trabalho e indicou que a cobrança é pelos resultados, e não pelo cotidiano de treinamentos. “Uma coisa é acreditar no trabalho. Eles acompanham, sabe o que a gente tem feito. O questionamento não é do trabalho, é o do resultado. Quemacompanha sabe que estamos tentando fazer o melhor, apostando em jovens atletas, que possam ter destaque. A gente não quer só trabalhar com consagrados. Um clube como o Bahia muda o seu patamar com sequência no Campeonato Brasileiro e que seus atletas da base possam virar dinheiro para diminuir a diferença para os demais clubes”, pontuou.

Enderson Moreira deu uma declaração de confiança no elenco tricolor e voltou a ressaltar a dificuldade imposta pelo calendário na temporada. Para o treinador, não existe tempo para ajustar a sua formação.

“Eu posso assegurar que o Bahia tem um grupo que trabalha muito. Eles estão imbuídos no objetivo, o ambiente é bom, por mais que as pessoas falem pressionando. É claro que a expectativa é enorme. É evidente, mas isso demanda tempo. São muitos jogadores que saíram, que ficaram. Não estou dando justificativa, embora as pessoas falem que eu dê justificativa. Se isso desagrada o torcedor ou a imprensa… É claro que o time tá mal treinado. Não existe treino! Em momento algum a gente treina. É uma coisa clara. O que a gente tenta é que os problemas não possam afetar tanto. Posso garantir que o ambiente é de respeito, trabalho, comprometimento com o ano do Bahia”, disse.

Bahia Noticias