O sócio proprietário da SS Metais, Paulo Campos, pediu “sensibilidade” aos donos do polo náutico Marina Aratu para evitar um desastre ambiental na Baía de Aratu. O empresário comprou do governo os ferry boat Mont Serrat e o Ipuaçu para comercializar as sucatas.

Para cortar as embarcações e vender, é preciso retirar o óleo e o lixo, antes que o ferry boat afunde com a sujeira e provoque uma tragédia ambiental.  De acordo com relatos de pessoas que acompanham a situação embarcações, um dos ferries corre o risco de afundar no local e ter o casco destruído com o impacto, o que inviabilizaria manobras ainda para remoção.

No entanto, segundo Paulo Campos, os proprietários do polo náutico têm impedido a limpeza das embarcações. O empresário diz desconhecer o motivo pelo qual os donos da Marina Aratu barram a retirada do óleo e do lixo. “Estamos fazendo de tudo, mas o Seu Barreto, como eu conheço, não tem deixado. Peço bom senso para evitar o pior”, afirmou.

Depois da limpeza, de acordo com o dono da SS Metais, será necessário deslocar os ferrys a fim de retirar a sucata. Para tanto, a Marina e a Capitania dos Portos terão que autorizar e Paulo Campos fez mais uma reclamação. “O problema é que a Saeb [Secretaria da Administração do Estado da Bahia, que era proprietária das embarcações] não deu nenhuma documentação para gente após o leilão. E precisamos para fazer a movimentação”, disse.

Bahia Noticias