O mês de Outubro é marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento, conhecido mundialmente como Outubro Rosa, é celebrado anualmente desde os anos 90. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que, pelo menos, 66 mil mulheres tenham diagnóstico de câncer de mama, por ano, até o final de 2022. Por isso, além conhecer os fatores de risco e os sinais da doença, é fundamental entender como é possível evitá-la.

Apesar de ser conhecida como uma doença com potencial fator genético, apenas 10% dos casos são por motivos hereditários – 9 em cada 10 casos de câncer de mama são devido a fatores não genéticos – e a atividade física pode ser uma abordagem preventiva bastante acessível.

“Exercícios físicos regulares podem atuar de maneira direta e indireta na prevenção do câncer de mama. Eles provocam uma diminuição da circulação de estrogênio e inflamações, reduz a gordura visceral e aumentam a imunidade”, explica Renata Rabelo, Coordenadora da Rede Alpha Fitness, unidade Vitória Boulevard.

Um estudo publicado na revista científica The Lancet, mostrou que o sobrepeso está associado a pelo menos dez dos cânceres analisados, entre eles, o de mama. O motivo é porque a obesidade é responsável pela produção excessiva de hormônios, como a insulina e o estrogênio que, em alto níveis, podem estimular o crescimento desordenado de células. Além disso, de acordo com o American Institute for Cancer Research, o sobrepeso desencadeia uma espécie de inflamação crônica em nível celular. De modo geral, o tecido adiposo, reagindo livremente no corpo, tem potencial para promover alterações cancerosas em células saudáveis. Por isso, manter um peso saudável com exercícios físicos é uma forma poderosa de prevenir o câncer de mama.

“Mulheres sedentárias e obesas precisam mudar seus hábitos de vida. Eles podem colocá-las em risco e impedir que elas tenham uma vida mais saudável. Para isso, é preciso focar na alimentação e no exercício físico”, acrescenta a especialista.

Além de tudo isso, mulheres que já enfrentaram um câncer de mama também podem se beneficiar com a pratica regular de exercícios. Perder peso após o tratamento do câncer diminui as chances da doença voltar. A mulher que conseguir reduzir o peso corporal original em 10% e mantê-lo por cinco anos, terá um efeito de diminuição de risco.

“Ao melhorar sua resposta cardiovascular, melhora o funcionamento do corpo de modo geral. Caminhar ou pedalar, por exemplo, pode evitar não apenas o aparecimento, como também a reincidência do câncer de mama”, finaliza a coordenadora da Rede Alpha Fitness.

ASCOM